Polícia Civil investiga o encontro de sete corpos

A Polícia Civil investiga o encontro de sete corpos, que foram localizados pela Guarda Civil Municipal (GCM) em uma área de mata no distrito de Botujuru, no domingo. Além dos cadáveres, foram apreendidos pela polícia documentos, uma foice, uma pá, uma enxada, pedaços de corda e de tecido.

Dois suspeitos que estavam no local quando a patrulha da GCM chegou fugiram.O caso foi registrado como homicídio qualificado e morte suspeita pelo plantão da Delegacia Seccional de Mogi das Cruzes e encaminhado ao Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) do município.

Os sete corpos foram encontrados pela GCM em seis covas em uma área de mata, cinco vítimas identificadas pelo sexo masculino estavam em covas individuais e um casal estava enterrado na mesma cova. Além dos corpos, os guardas encontraram ferramentas que possivelmente estavam sendo utilizadas para imobilizar e enterrar as vítimas. Os objetos foram encaminhados à perícia.

Ao que tudo indica, uma das vítimas era moradora de Suzano, mas o delegado Rubens José Angelo, responsável pelo setor de homicídios, declarou que ainda é preciso aguardar o resultado dos exames. "Não podemos confirmar que a vítima era de Suzano. Apesar da documentação encontrada junto ao corpo que indica essa informação, é necessário um exame de DNA. O corpo estava em estado avançado de decomposição e só o exame poderá confirmar a identidade da vítima", explicou.

Os laudos oficiais sobre a causa das mortes ainda não saíram, mas o delegado adiantou que, aparentemente, não foram utilizadas armas de fogo e a causa foi possivelmente por traumatismo craniano, de forma muito similar a outros casos encontrados em Mogi nos últimos meses. Todos os corpos foram encontrados com as mãos amarradas por pedaços de cordas ou panos.

Angelo acredita que o caso possa estar conectado com duas ocorrências similares registradas na cidade. Na primeira, de agosto de 2019, dois motoboys, Bruno e Matheus, desapareceram. O corpo de Bruno foi encontrado enterrado na estrada das Varinhas, em Jundiapeba. Matheus segue desaparecido até hoje.

O segundo caso foi registrado no começo de setembro deste ano, quando dois corpos foram encontrados também em Judiapeba. As vítimas, um casal de Guarulhos, estavam desaparecidas desde agosto.

"Esse já é o terceiro caso e acreditamos que possa haver uma conexão entre eles. O primeiro passo é a identificação das vítimas e, a partir daí, poderemos aprofundar as investigações em busca dos autores do crime", completou. (L.K.)

Deixe uma resposta

Comentários