Em Mogi, 64 mutuários devem mais de R$ 58,7 mil à CDHU

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), empresa vinculada à Secretaria de Habitação do Estado, iniciou uma ação para apoiar 64 mutuários mogianos que passam por dificuldades para quitar as prestações de seus imóveis durante a pandemia da Covid-19 e devem, ao todo, R$ 58.762,55 à CDHU.

Ainda de acordo com as informações da estatal, essas famílias foram selecionadas por atenderem dois requisitos: estavam com os pagamentos rigorosamente em dia até dezembro de 2019 e atrasaram parcelas neste ano em razão da Covid-19.

Os mutuários beneficiados poderão optar pelo pagamento à vista do débito, sem juros de mora nem multa. Outra opção oferecida pela CDHU é o parcelamento do débito pelo prazo remanescente do contrato, sem entrada e também sem cobrança de juros e mora, sendo que a prestação mínima mensal não poderá ser inferior a R$ 52,25. Os mutuários que optarem pelo parcelamento do débito terão uma carência de 30 dias para realizar o primeiro pagamento.

A CDHU está enviando pelo correio uma carta aos mutuários selecionados, explicando as condições para aderir a essa oportunidade de regularização dos débitos. Todas as informações sobre essa ação também podem ser obtidas pelo Alô CDHU (0800 000 2348) ou pelo o site www.cdhu.sp.gov.br.

No total, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Santa Isabel, Guararema, Biritiba Mirim, Mogi e Arujá somam uma dívida de
R$ 381.644,00. Essas são as cidades do Alto Tietê atendidas pela CDHU. Somente em Itaquá, 117 mutuários devem R$ 147.176,03.

Já no município de Suzano existem 30 mutuários que somam uma dívida de
R$ 49.159 e, em Santa Isabel, são cinco que resultam no montante de R$ 7.527. Já em Ferraz, 52 mutuários devem R$ 68.297; em Arujá, 20 devem R$ 39.095 e em Poá cinco devem R$ 5.529. Por fim, em Biritiba apenas um mutuário deve R$1.390,77 e em Guararema cinco devem R$ 4.709 no total.

Deixe uma resposta

Comentários