Consumo residencial de água aumenta 11,5% em outubro

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apresentou um balanço comparativo dos municípios de Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá e Suzano e bairros atendidos pela Sabesp em Mogi. Essas localidades registraram aumento no consumo residencial de 11,5% em outubro, quando comparado com o mesmo mês do ano passado.

Em outubro deste ano, foram consumidos em média 123,3 litros/pessoa/dia. Noo mesmo mês do ano passado, o consumo foi de 110,6 litros/pessoa/dia. Em 2020, por causa da intensificação das práticas de higiene devido o combate ao coronavírus (Covid-19), houve aumento da demanda por água na faixa dos clientes residenciais atendidos pela companhia.

No acumulado de janeiro a outubro deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2019, a elevação foi de 8,5%, passando de 107,5 litros/pessoa/dia (2019) para 116,6 litros/pessoa/dia (2020).

Semae

O consumo de água em Mogi das Cruzes tem sido cada vez maior na medida que a cidade avança nas fases do Plano São Paulo de retomada econômica. A última classificação ocorreu no dia 10 de outubro, quando o município entrou para a fase verde. Os dados do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) apontaram que no período de 1 a 31 de outubro, o consumo na cidade foi de 1.914.113 metros cúbicos.

Um ligeiro aumento de 4,43% em relação ao mês anterior, em setembro, quando o consumo atingiu 1.832.846 metros cúbicos.

Para a elaboração do levantamento, o Semae utilizou não só o consumo de água residencial, mas também o comercial, industrial e institucional. Em nota, a autarquia esclareceu ainda que é natural que com a flexibilização da quarentena ocorra um aumento no consumo em geral, devido à maior atividade em todos os setores da economia.

"Podemos citar como exemplo, bares, restaurantes e salões de beleza, entre outros estabelecimentos, que tiveram permissão para ampliar o horário de funcionamento e número de clientes atendidos", explicou.