Mogi promove mais de 53 mil testes para detectar a Covid-19

Mogi das Cruzes já realizou mais de 53 mil exames desde o início da pandemia para identificar a presença do coronavírus (Covid-19) entre os habitantes. Dentro de uma população de 445.842, essa testagem cobre 12% dos mogianos, os testes foram realizados desde o início da pandemia, em março, e foram divulgados pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE).

No G5 - Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá - mais de 90 mil testes foram coletados.

De acordo com o painel "Gestão de Enfrentamento da Covid-19" do TCE, até o mês passado, Mogi realizou 53.889 exames. Distante de uma testagem em grande escala, que seria o ideal para revelar o número real de pessoas infectadas pela Covid-19, a cidade possui o maior percentual de testes do G5. O número não inclui as testagens realizadas por vias privadas, como os ofertados em farmácias e hospitais particulares.

O painel do TCE revela outros detalhes sobre o enfrentamento da pandemia em Mogi, até o dia da divulgação, 4 de novembro, R$ 3.183,09 estavam sendo investidos por cada caso confirmado, os valores incluem gastos gerais, não se limitando apenas aos testes mas incluindo aquisição de novos equipamentos, gasto com pessoal, custos de internações, hospital de campanha, entre outros. Na ocasião, 9.827 casos da doença haviam sido confirmados e 435 óbitos. No total, R$ 31,28 milhões foram utilizados.

Outras cidades do G5 - cinco cidades mais populosas do Alto Tietê - também tiveram o número de testes e outros detalhes de gastos divulgados pelo TCE. Dentro do mesmo período, Suzano coletou 15.683 exames, o que representa uma cobertura de 5,2% da população de 297.637 e R$ 19,9 milhões foram utilizados no combate ao coronavírus. Até o fechamento dos dados, 6.219 suzanenses haviam sido infectados, portanto, um investimento equivalente a R$ 3.199,57 por cada caso confirmado.

Em Itaquaquecetuba, 9.998 testes foram realizados, uma das menores coberturas da região, cerca de 2,6% da população de 370.821. Em Itaquá os gastos por cada caso confirmado, na ocasião, 5.686, estão em R$ 3.057,14, totalizando R$ 17,38 milhões.

Ferraz de Vasconcelos, que tem pouco mais da metade da população de Itaquá, promoveu 9.372 testes, o que representa 4,8% dos 194.276 moradores. Quando o TCE divulgou os dados, no começo do mês, 3.428 ferrazenses haviam se contaminado com a Covid-19, a cidade investiu R$ 19,91 milhões para mitigar os efeitos da pandemia, o que significa um gasto de R$ 5.808,42 por cada caso confirmado.

Com a menor população do G5, Poá testou 1.898 moradores, 1,6% da população de 117.452 habitantes. De acordo com o painel do TCE, o número de contaminados registrados até a divulgação dos dados era de 2.576, portanto, superior ao número de testes realizados na cidade. A Prefeitura de Poá foi questionada sobre sua testagem mas não respondeu até o fechamento desta edição. Foram repassados R$ 12,94 milhões para o combate à pandemia, cerca de R$ 5.024,73 por cada caso confirmado.

*Texto supervisionado pelo editor.