Prefeitura inicia estudo para implantar Parque Tecnológico

Inaugurada em julho do ano passado, a Avenida das Orquídeas, em Mogi das Cruzes, vai representar nos próximos anos mais do que somente uma ligação entre o município e outras cidades do Alto Tietê.

Com a conclusão do restante da obra no trecho mogiano, já foram iniciados os estudos para a implantação do Parque Tecnológico à margem da via, com projeção de instalação de ao menos dez empresas, uma universidade, centro de exposição e eventos e até uma estação de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico e Social da Prefeitura, Cláudio Costa, até 2022 serão realizados os levantamentos necessários e, a partir de então, começará o processo de implantação do Parque Tecnológico.

"Na área das Orquídeas, teremos a construção do Parque Tecnológico, num espaço de 320 mil metros quadrados, que vai abrigar, no mínimo, dez empresas de tecnologia, o centro de exposições, uma universidade e a possível estação de trem", confirmou Costa. "Para criar o ecossistema nas proximidades, teremos a instalação de ao menos oito prédios residenciais de 20 andares, de rede hoteleira e de serviços, tudo para dar suporte ao novo bairro", completou.

Desde sua inauguração, o prefeito Marcus Melo (PSDB) e sua equipe técnica na Prefeitura prometem uma nova Mogi das Cruzes passando pela Avenida das Orquídeas. Muito desse pensamento se dá por conta da área em potencial a ser explorada, tanto na indústria com o Parque Tecnológico, quanto na área residencial, necessária pelo significativo aumento da população mogiana nos últimos dez anos.

Em relação à universidade pretendida no local, o diretor da administração municipal afirmou que a necessidade de mão de obra especializada nas empresas demanda ensino qualificado, o que justifica a instalação de uma universidade no local.

A instalação do centro de exposições se dá pela alta quantidade de eventos na cidade de São Paulo, o que faz com que investidores procurem a Região Metropolitana para fazer workshops, eventos, palestras e outros encontros. Como exemplo, Costa cita a hipótese de investidores que desejam promover uma semana de tecnologia no Estado e, interessados em um local apropriado, escolheriam Mogi das Cruzes, movimentando a rede hoteleira e de serviços da cidade.

O diretor de Desenvolvimento Econômico entende ser necessária a promoção de melhorias na continuação da Avenida das Orquídeas, especialmente no trecho de Suzano, onde ele visualiza um "gargalo". "Isso tem de ser revisto. A parte de estrutura da Avenida das Orquídeas está pronta, está tudo funcionando", disse Costa.

REGIãO VAI ABRIGAR INDúSTRIAS E CONDOMíNIOS RESIDENCIAIS

O distrito de Jundiapeba recebeu, em julho do ano passado, a Avenida das Orquídeas, a última etapa de construção do Corredor Leste-Oeste e uma das maiores obras de mobilidade urbana de Mogi das Cruzes nos últimos anos. A via é um novo vetor de desenvolvimento do município, além de ligação com o Rodoanel. O Corredor Leste-Oeste tem 10,5 quilômetros de extensão no total, dos quais 3,5 quilômetros são da Avenida das Orquídeas.

A região que margeia a via foi classificada na nova revisão do Plano Diretor como "área de intervenção urbana", o que significa que, na prática, o empresário que escolher as margens da via para empreender terá de ter seu projeto urbanístico aprovado junto à Prefeitura, a fim de ordenar tal progresso. A proposta da revisão do Plano Diretor para a Avenida das Orquídeas é que, à princípio, o desenvolvimento seja ao mesmo tempo rápido e consciente.

Com o investimento no corredor superior a R$ 100 milhões, a construção de uma nova via trouxe valorização à área, o que permitiu criar no ano passado uma série de especulações sobre a possibilidade da chegada de condomínios residenciais, comércios e até mesmo um polo industrial nas imediações, que já começam a ser pensados pelos técnicos da Prefeitura.

Segundo o diretor de Desenvolvimento da Prefeitura de Mogi das Cruzes, Claudio Costa, a expectativa é de que 80 mil pessoas possam residir no entorno do corredor Leste-Oeste. Para isso, toda a extensão da nova via possui uma faixa exclusiva para o transporte coletivo, além de ter uma linha de ônibus específica que passa pela via, a E114 Terminal Estudantes-Jundiapeba, via Orquídeas. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários