Black Friday: veja como fugir de fraudes e falsas promoções

É preciso ter atenção com preços maquiados
É preciso ter atenção com preços maquiados - FOTO: Arquivo/Mogi News
Com promoções chamativas, mas nem sempre verdadeiras, a Black Friday tornou-se uma data pronta para impulsionar os consumidores a comprarem aquele produto que estavam interessados há meses, mas ainda não tinha alcançado um preço ideal. Neste ano, devido a pandemia de coronavírus (Covid-19), as compras online deverão crescer ainda mais, e em meio a esse novo tipo de aglomeração digital, surge a oportunidade para golpistas enganarem os mais desatentos.

Diante dessa nova modalidade de compras, que cada vez mais tem ganhado a confiança dos clientes, especialistas em Direitos do Consumidor e professores de cursos ligados à área da informática dão alertas para evitar dores de cabeça e fraudes. "Tanto no presencial quando no digital, os consumidores precisam estar atentos às famosas promoções maquiadas, que de tão comuns acabaram fazendo a Black Friday ser chamada de Black Friday no Brasil", explicou Arthur Luis Mendonça Rollo, doutor e mestre em Direito, presidente do Instituto Nacional de Direito do Consumidor (Inadec) e vice-presidente da Comissão de Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo.

Rollo se refere aos produtos que costumam ter o valor aumentado algumas semanas antes da Black Friday apenas para dar a impressão de que receberam um grande desconto em cima desse preço já inflacionado.

"Isso é prática comercial abusiva e está sujeita a multa. O Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) estará de olho e o consumidor que acabar caindo em uma fraude dessas tem o direito de arrependimento sobre a compra online. A partir da data em que o produto chegar na casa do cliente, ele tem até sete dias para solicitar a devolução do produto e reembolso de seu dinheiro sem pagar nenhuma taxa por isso" completou o especialista.

Além das promoções maquiadas, formas ainda mais aprimoradas para enganar consumidores desatentos foram desenvolvidas e a atenção deve ser redobrada sobre a reputação da loja, certificados de segurança e uso de dados bancários ao efetuar sua compra online por sites ou aplicativos.

"Muitas vezes ao se instalar um aplicativo no celular, o consumidor não se dá conta de que está suscetível a golpes ou clonagem de seus dados, inclusive bancários. Afinal, muitos requerem acessos a localização física e câmera de vídeo, por exemplo. É importante ter muita cautela e desconfiar de aplicativos poucos conhecidos. Vale verificar com amigos, familiares e na internet o aplicativo que quer instalar", alertou Renata Costa, professora e coordenadora dos cursos Análise e Desenvolvimento de Sistema e Sistemas de Informação do Centro Universitário Braz Cubas.

A professora explicou que criminosos conseguem falsificar um site de renome e confiança com tanta precisão que até mesmo os mais atentos podem acabar caindo em um golpe. "É preciso ficar atento aos detalhes, as vezes uma única letra é trocada no link de endereço do site. O cibercrime está cada vez mais inteligente e abusivo", disse.

Na dúvida, também vale recorrer aos sites que forneçam a reputação com selos de avaliações e, especialmente, de avaliações dos clientes. Sites como Reclame Aqui e Procon podem ser grandes aliados. Outra dica é verificar os selos de segurança que ficam no rodapé da página e se o domínio começa com HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol Secure, ou Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro, em português), uma camada criptografada a mais de segurança que verifica a autenticidade do servidor.

*Texto supervisionado pelo editor.

COMPRAS ONLINE PODEM DAR O TOM DESTA SEXTA

Estimulada pelo isolamento social imposto pelo coronavírus (Covid-19), a tendência é que as compras online finalmente se consolidem entre os consumidores como mais uma opção para aproveitar as promoções da Black Friday e compras de fim de ano. A possibilidade é que a modalidade virtual até mesmo supere as vendas registradas em alguns segmentos dos comércios presenciais.

Tal mudança de comportamento pode acabar se transformando em mais uma adversidade para lojistas, que já amargaram meses vendendo bem abaixo do normal em outras ocasiões, conforme o Dat tornou público em recentes publicações cobrindo feriados como Dia das Mães e Dias dos Pais. Em meio a essas dificuldades o comércio local inova em suas promoções para atrair os consumidores e garantir o prestígio que as vendas presenciais sempre tiveram.

Respeitando as medidas de distanciamento, que limita os estabelecimentos a uma ocupação de 60%, obrigatoriedade do uso de máscaras e a aferição de temperatura nas entradas, o Suzano Shopping promoverá entre hoje e o próximo domingo a Black Weekend, uma campanha com promoções em lojas dos mais variados setores.

Os descontos valem também para a vitrine virtual e compras pelo drive-thru, que têm sido bastante utilizadas pelos clientes pela praticidade. As ofertas da vitrine podem ser consultadas no endereço http://www.suzanoshopping.com.br/vitrine.asp

Durante a semana, influenciadores digitais irão divulgar promoções em lives no Instagram do shopping. São eles: @ingridbabi, @mariandradenv, @jessica_ribeiro_oficial e @ruffinoficial (para acompanhar as lives acesse https://instagram.com/suzanoshopping?igshid=1np5xhepqpukf). (L.K.)

Deixe uma resposta

Comentários