Maioria de novatos indica legislatura atribulada

Pedro Komura (PSDB) vai cumprir o 9º mandato
Pedro Komura (PSDB) vai cumprir o 9º mandato - FOTO: Mogi News/Arquivo
Com a maioria dos vereadores novatos na Câmara Municipal, parte dos parlamentares reeleitos estão tratando a próxima legislatura como difícil de ser administrada por conta de uma das maiores divisões de cadeiras entre partidos e a perda de membros da base aliada do grupo predominante na Casa.

No atual mandato, a oposição ao prefeito Marcus Melo (PSDB) foi representada pelos vereadores petistas Rodrigo Valverde e Iduigues Martins e, mais recentemente, pelo vereador Caio Cunha, principalmente quando deixou o PV com destino ao Podemos.

No próximo ano, caso o prefeito Melo vença, terá uma oposição mais forte, composta por, ao menos, seis parlamentares. Compõem a oposição Iduigues, reeleito, outros três vereadores do Podemos, um do Solidariedade e a experiente Inês Paz, do Psol. Esta última também vem sendo motivos de muitos comentários nos corredores da Câmara pelo grande potencial político que possui para representar a oposição na Casa. Indo para seu terceiro mandato, os dois primeiros entre 2001 e 2008, Inês sempre esteve ligada a lutas sociais e seu nome já era tido como um dos prováveis para o próximo ano, uma vez que Valverde se lançou à Prefeitura e deixou uma lacuna de oposição a ser preenchida.

A intenção do grupo predominante na Câmara é eleger um presidente para o próximo ano com experiência, para controlar os ânimos dos novos vereadores e administrar o ímpeto da oposição que já passou pelo plenário, representada por Inês e Iduigues.

A predominância da base do atual prefeito é nítida, tanto em experiência legislativa quanto em quantidade, já que é representada por 17 vereadores. Com nove mandatos consecutivos, Pedro Komura, do PSDB, por exemplo, é o retrato dessa imposição numérica do grupo político no plenário. Em conversa com a reportagem, o parlamentar disse que nestes 31 anos de Legislativo nunca presenciou um mandato com tantos parlamentares de oposição.

Especialistas ouvidos pelo Grupo Mogi News nos últimos dias apontam que ser prefeito com a maioria consolidada na Câmara Municipal facilita o trabalho do Executivo, com a possibilidade de imprimir sua agenda de desenvolvimento para o município. Entretanto, no mesmo cenário, ter o Legislativo alinhado ao Executivo aumenta a necessidade de maior participação da população, para que haja a garantia de que as pautas trabalhadas nos poderes sejam legítimas e de interesse municipal.

Renovação

Dos 23 vereadores eleitos neste ano, 14 não são vereadores atualmente. Dois partidos terão mais cadeiras a partir de 2021, o PSDB e o PL, este último ocupa o posto atualmente na Casa, com cinco vereadores. O PSD mantém a mesma quantidade de cadeiras que ocupa neste ano, com três representantes. O Podemos, que antes era representado apenas pelo vereador Caio Cunha, que se lançou a prefeito e disputa hoje o segundo turno, agora também possui três vereadores. O MDB terá duas cadeiras, uma a menos. Republicanos, PT, Solidariedade, PSB, DEM, PV e Psol terão apenas a representatividade de um vereador cada. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários