Jovens e adultos são os mais atingidos pelo coronavírus

Jovens e adultos são maioria dos contaminados pelo coronavírus (Covid-19) em Suzano. Dos 6.132 infectados com a doença na cidade desde o início da pandemia, 5.132 possuem entre 9 e 59 anos de idade, o que representa 83,7% dos contamidades. O restante deste grupo (16,3%) é composto por quase mil moradores com 60 anos ou mais, quando se trata de óbitos, no entanto, eles são maioria: 68,9% dos 254 óbitos ocorream com pessoas que já entraram na terceira idasde, o que representa 68,9%. Os dados foram divulgados pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), com atualização de casos e óbitos do último dia 26 de novembro, e podem ser diferentes das informações das prefeituras e aquelas liberadas pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).

O fenômeno parece ser uma tendência e as demais cidades do G5 - cinco municípios mais populosos do Alto Tietê - também registram a mesma situação com poucas variações.

Naturalmente, a população destas faixas etárias tendem a estar mais expostas aos vírus, seja por necessidades de trabalho, atividades de rotina que requerem maior exposição ou até mesmo um maior relaxamento proporcionado pelo sentimento de segurança de não pertencerem aos grupos de risco.

Seja como for, os idosos têm sido os mais afetados por esse desequilíbrio e, na balança de casos confirmados e óbitos registrados, a maior letalidade pende para o lado dos suzanenses com 60 anos ou mais. Se por um lado esse grupo representa apenas 16,3% dos casos de contaminação, por outro, os idosos são 68,9% dos óbitos decorrentes da Covid-19 na cidade.

De acordo com os dados da Seade que serviram de base para este levantamento, até ontem, Suzano possuía 6.132 casos confirmados e 254 óbitos.

A população jovem e adulta do G5 também representa a maior parcela dos infectados e de modo similar os idosos constituem o maior número de vítimas fatais.

Em Itaquaquecetuba a população que possui entre 9 e 59 responde por 84,1% das 4.772 contaminações registradas pela Seade até ontem, o mesmo grupo representa 30,3% das mortes. Os idosos de Itaquá constituem 15,9% dos infectados com Covid-19 mas 69,7% dos 316 óbitos registrados na cidade.

De forma similar, Mogi das Cruzes tem dentro de seus 9.857 casos de contaminações uma maioria de 83,1% formada por jovens e adultos que, por uma série de variáveis, representam a menor porção dos óbitos, cerca de 25,9%. Já os mogianos com 60 anos ou mais são 16,9% dos infectados e 74,1% dos 471 óbitos. Em Ferraz de Vasconcelos 84,5% dos 4.807 casos são jovens e adultos e as mortes dentro do mesmo grupo são 30%. Idosos respondem por 15,5% das pessoas que tiveram contato com vírus e 70% dos que faleceram vítimas da pandemia.

Por fim, Poá, a menos populosa entre as cinco, seguiu a tendência do G5. De acordo com o banco de dados da Seade, das 2.301 contaminações registradas, 82,5% ocorreram entre jovens e adultos, o mesmo grupo responde por 29,2% das mortes. Os idosos poaenses formam o restante de 17,5% das contaminações e 70,8% das mortes.

*Texto supervisionado pelo editor.