Vendas de Natal devem ser prejudicadas

A direção da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) avalia que o comércio deverá ser novamente prejudicado com a regressão da cidade para a fase amarela do Plano SP, o que implica em menos tempo e capacidade de atendimento do consumidor, justamente no mês de dezembro, que é o período mais aguardado pelo setor em razão das compras de Natal.

A direção da entidade deverá se reunir nas próximas horas com o Sincomércio e os representantes da Prefeitura para definir como ficará o funcionamento do comércio dentro das regras apresentadas ontem pelo Governo, que deixou todo o Estado na fase amarela.

"O comércio estava começando a reagir e a grande expectativa era o Natal. Agora, as projeções podem ser comprometidas porque, ao invés de estender o horário de funcionamento, como é o comum, vamos reduzir e ainda diminuir a quantidade de pessoas no interior das lojas. Isso, aliado ao medo em razão do aumento de casos, deve fazer com que muitos consumidores deixem de ir ao comércio", argumenta o presidente da ACMC, Marco Zatsuga, ao lembrar que a estimativa inicial era de um aumento de 3% nas vendas neste Natal.

O dirigente ressalta que as restrições da quarentena também devem impactar a questão do emprego, com a dispensa de trabalhadores contratados temporariamente. "Entendemos a questão da saúde, mas os impactos dessa nova restrição serão negativos", acrescenta o presidente.

Deixe uma resposta

Comentários