Palmeiras empata com o Ceará e chega à semi da Copa do Brasil

Meia Raphael Veiga marcou dois gols; já são 25 com a camisa do alviverde
Meia Raphael Veiga marcou dois gols; já são 25 com a camisa do alviverde - FOTO: Diogo Reis/Agif - Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo
O Palmeiras está nas semifinais da Copa do Brasil. Em noite de superação no Castelão, o time paulista mostrou força mesmo sofrendo com um surto de Covid-19. Atuando com 19 desfalques, empatou com o Ceará por 2 a 2, com brilho de Raphael Veiga.

A equipe fez um primeiro tempo perfeito ontem em Fortaleza para encaminhar a vaga. Mais uma vez liderada por Raphael Veiga. O armador anotou os dois gols do time, um após bela letra. Herói diante do Fluminense, o jogador repetiu a dose e vive seu melhor momento na temporada.

Com 3 a 0 construído na ida, o Palmeiras podia até perder por dois gols de diferença que avançaria. Mesmo com excelente vantagem, optou por atacar, abriu 2 a 0 antes do intervalo, e depois apenas fez o tempo passar. Até sofreu o empate, mas não viu a classificação ameaçada em nenhum momento.

O técnico Abel Ferreira, suspenso por expulsão no jogo de ida, não tinha Felipe Melo, Luan Silva e Wesley, machucados e Breno Lopes, impossibilitado de jogar por já ter atuado pelo Juventude na Copa do Brasil. O zagueiro Gustavo Gomez defendeu o Paraguai nas Eliminatórias e ficou no banco. Entrou nos minutos finais. A dupla defensiva inicial teve Emerson Santos e Renan.

Do lado cearense, com a saída de Rafael Sóbis para o Cruzeiro, Felipe Vizeu ganhou a vaga de centroavante. Mas o grande nome de Guto Ferreira era Vina, recuperado da Covid-19.

Mas bastou a bola rolar para ficar evidente que seria um duelo entre desespero e calmaria. O Palmeiras logo tomou conta da partida. Veiga assustou Fernando Prass na primeira finalização. Bateu falta na barreira e soltou uma bomba no rebote, raspando a trave. Ele sofreria pênalti logo depois. Cobrou com perfeição. Só um time jogava. E com uma pintura, Lucas Lima chegou à linha de fundo e cruzou na medida para Raphael Veiga marcar um golaço, de letra.

Com 5 a 0 no agregado, os paulistas voltaram dispersos para a fase final. E viram os rivais reagirem, anotando dois gols em intervalo de cinco minutos. Vina, aos 11, e Tiago, aos 16, fizeram a esperança cearense renascer.

O Palmeiras já não era competitivo como na etapa inicial. E via Weverton trabalhar. O Ceará ainda cavou um pênalti com Vina, aos 31. O árbitro marcou. Após demora de quase cinco minutos e revisão do VAR, o lance foi cancelado. Com três gols de desvantagem e pouco tempo no relógio, o Ceará queria apenas dar adeus com vitória. Ao Palmeiras valia a manutenção da invencibilidade. Foi o que aconteceu.

Deixe uma resposta

Comentários