Por que os homens?

Na quinta-feira passada, o Grupo Mogi News revelou, com base nos dados do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e das prefeituras da região, que a maioria das mortes por coronavírus ocorre em homens. Em Suzano, por exemplo, 56% dos óbitos, até a publicação da reportagem, ocorreram entre o público masculino; já em Mogi, o número foi parecido e chegou a 55,7% dos homens.

Esse índice pode derrubar aquela velha história de que as mulheres detêm a alcunha de sexo frágil, e que os homens, por serem mais fortes fisicamente, estariam mais imunes, no entanto, há muito Charles Darwin havia sugerido que não é o mais forte que sobrevive, mas sim aquele que está mais adaptado ao ambiente em que vive.

O fato das mortes por Covid-19 ocorrerem com mais frequência entre os homens é analisada em todo o planeta, e está relacionado justamente ao modo de vida dos indivíduos do sexo masculino. Em uma reportagem recente da Veja Saúde, um integrante da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) disse à revista que os "homens são mais reticentes no autocuidado além de fumarem e beberem mais. Também têm mais doenças crônicas como diabetes e hipertensão e aderem menos ao tratamento", portanto, de forma mais simples, o coronavírus seria mais poderoso contra os homens por eles se cuidarem menos. Na mesma reportagem da Veja Saúde, um integrante do Hospital Alemão Oswaldo Cruz cita que há cerca de 200 estudos sobre o coronavírus que destacam o sexo como um dos fatores sobre a evolução da doença, resta saber se isso é orgânico ou comportamental.

É inegável que as mulheres são mais preocupadas com a saúde e, não apenas em épocas como o Outubro Rosa, elas procuram os postos de saúde em busca de informações e exames. O diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento de qualquer doença, assim como o câncer de mama.

Os homens precisam se conscientizar e olhar também para a saúde. Neste Novembro Azul é hora de procurar uma unidade de sáude e se submeter a exames para detectar o câncer de próstata, que pode ser curado se diagnosticado nos estágios iniciais.