Nossos inimigos atuais

Há muitos inimigos da democracia, tanto em partidos de oposição radicais, como nas instituições, professores alienados pregando e estimulando identidade de gênero (meninos e meninas no mesmo banheiro, crianças: menino namorando menino e menina namorando menina, mas são crianças sem noções porque tem entre 7 e 10 anos), há os interesseiros em obter e roubar, furtar e corromper o erário.

Mas o maior inimigo atual é, sem dúvida, o coronavírus, ou Covid-19, que vem dominando e impondo tristezas aos povos. O aumento do estresse, violência no trânsito, brigas entre familiares devido à situação atual. Pais desempregados, falta de alimentos nos lares, roubos, furtos e assaltos, além do desrespeito total em vários segmentos da sociedade, têm trazido aumento de doenças e falecimentos por ataques cardíacos. Então o maior inimigo é o comportamento pessoal.

Quem não consegue se autodominar para eliminar e controlar o estresse, além das preocupações diárias e pensar positivamente, corre grande risco com a própria saúde. O que fazer diante da situação atual, como vem ocorrendo na Europa, sendo que alguns países já estando retornando ao "lockdown". Pensar com grande otimismo e relembrar todos os dias que as tempestades sempre passam.

Quantos séculos ainda serão necessários para que a humanidade aprenda ter comportamento sublime, elimine as guerras e conflitos de toda natureza para que o grau de consciência se eleve e as "personalidades almas" aprendam a finalidade real da vida. Mas, não se pode permitir que os principais inimigos atuais continuem a destruir o senso de razão de cada ser humano. O radicalismo ideológico de vários países, a bestialidade política não pode continuar dominando os povos porque desejam apenas realizações materiais. Como será o "The Day After" nas eleições de 2020, tanto no Brasil, nos Estados Unidos e em outros países? Há lideranças confiáveis? Aconteça o que acontecer, as mentes sublimes continuarão trabalhando para que seja implantado um mundo melhor.