Poder feminino

Duas prefeitas e sete vereadoras. Esse é o saldo da participação das mulheres, considerando apenas as cinco cidades com maior população do Alto Tietê, nas eleições municipais. No caso das prefeitas eleitas - Priscila Gambale (PSD), em Ferraz de Vasconcelos, com 31.944 votos, 37,06% dos válidos; e Marcia Bin (PSDB), em Poá, com 23.446 votos, 37,85% dos válidos - a representatividade feminina chega a 40%, o que pode ser considerado um índice altíssimo nos cenários estadual e nacional.

Já o Legislativo terá ocupação mais acanhada, com sete parlamentares dentro de um universo de 95 cadeiras, o que dá 7,36% de participação. Com exceção de Ferraz, que não elegeu nenhuma mulher para a Câmara, Mogi das Cruzes com três vereadoras, Poá com duas, Suzano com uma e Itaquaquecetuba também com uma, estarão representadas.

À primeira vista, a porcentagem é pequena, mas já houve um tempo em que a participação era zero. Nas últimas legislaturas, a partir do século XXI, as mulheres passaram a ocupar um espaço tradicionalmente masculino. Positivo também é que as mulheres não têm um discurso exclusivamente feminista. Elas vão além, participando da discussão de vários temas, mas com um olhar diferenciado, no mínimo, mais sensível. Isso tem contribuído para a busca da melhoria na qualidade de vida das pessoas.

A diversidade no perfil das eleitas também é notório. Em Mogi das Cruzes, a Câmara contará com a experiência de Inês Paz (Psol), que já foi vereadora em outra oportunidade. Representante do professorado mogiano, Inês é uma antiga batalhadora pelo empoderamento feminino, não apenas na área educacional. Fernanda Moreno (MDB) foi reeleita por uma atuação bem sucedida nas questões da defesa animal e promete uma participação mais intensa na Câmara. A grande surpresa ficou por conta de Maria Luiza Fernandes (SD), que alcança uma vaga na Câmara com apenas 20 anos de idade.

O tempo tem mostrado que as mulheres são capazes de participar da política com uma visão mais ampla e democrática. Isso merece respeito. Que na próxima legislatura, essa tendência se confirme.