Deputados cobram justiça por Marielle

O assassinato da vereadora Marielle Franco completou 1.000 dias ontem. A data gerou comoção nacional e criou protestos na Câmara dos Vereadores no Rio de Janeiro, com parlamentares marcando presença nas redes sociais contra o crime ainda sem respostas.

Marielle foi uma das vereadoras mais votadas nas eleições do Rio de Janeiro em 2016 e, ainda em seu primeiro mandato, foi executada a tiros junto com seu motorista, Anderson Gomes, no dia 14 de março de 2018.

O ex-presidente Lula comentou: "Há mil dias assistimos a escalada do ódio, da política, das ameaças, do preconceito e da intolerância". Na mesma linha, o governador da Bahia, Rui Costa (PT) disse que "Marielle é a memória constante de que a busca por justiça e a luta contra a desigualdade e racismo".

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PT) usou as redes sociais para dizer que "a homenagem a ela é em nome de todas as vítimas de assassinatos sem resposta".(E.C.)