Supremo autoriza vacinação obrigatória

A maioria dos ministros do STF, por dez votos a um, entendeu que a vacinação contra a Covid-19 deve ser obrigatória, mas não forçada. Pela decisão, na quinta-feira passada, Estados e municípios terão autonomia para decidir sobre medidas restritivas a quem optar por não se vacinar.

O presidente Jair Bolsonaro voltou a justificar em transmissão por meio das redes sociais o voto do seu indicado no Supremo Tribunal Federal, o ministro Nunes Marques, no julgamento sobre a obrigatoriedade da vacina. Bolsonaro afirmou que teria votado da mesma forma que Marques.

O ministro foi favorável na obrigatoriedade da vacina, mas indicou uma série de requisitos para isso ocorrer. Bolsonaro destacou que Marques votou para que restrições só pudessem ser impostas pelo governo federal. Para o chefe do Executivo, foi uma medida "antecipada" já que "nem vacina tem".

O presidente citou a possibilidade de efeitos colaterais e a falta de garantia sobre por quanto tempo dura a imunização da vacina.(E.C.)