Mogi está sem radares fixos há quatro meses

Dezembro chegou e as vias municipais de Mogi das Cruzes continuam sem a fiscalização dos radares fixos, completando cerca de quatro meses sem as medições e multas. Apesar disso, Mogi não registrou nenhuma multa no trânsito desde que os equipamentos foram retirados pela antiga empresa responsável pela operacionalização.

A inexistência das multas se deve à determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), por meio da resolução 782/2020, que suspendeu as notificações a motoristas sobre as autuações de infrações de trânsito cometidas a partir de 20 de março deste ano, em função da pandemia pela Covid-19.

O trabalho de instalação dos 16 equipamentos de fiscalização eletrônica segue em andamento e sem data estipulada para a finalização. O prazo inicial era do funcionamento dos radares em novembro. O consórcio responsável pelo serviço está implantando as estruturas físicas em diversos pontos e aguarda a chegada dos equipamentos de fiscalização encomendados. Após a instalação, deverá ser feita a aferição dos equipamentos por um órgão técnico especializado.

É importante destacar, no entanto, que os equipamentos somente começarão a operar após terem sido aprovados na aferição e posterior determinação da Secretaria Municipal de Transportes.

Já os radares móveis foram retirados em abril, mas voltaram a funcionar em junho. Os pontos mais monitorados com esse tipo de equipamento são as avenidas João XXIII, Francisco Fodrigues Filho e a Yoshiteru Onishi.