Áudios vazados de Lintz sugerem exigência de cargos

Lintz diz que Secretaria de Gestão 'vai ser minha'
Lintz diz que Secretaria de Gestão 'vai ser minha' - FOTO: Arquivo Pessoal
Em áudios vazados, atribuídos ao ex-candidato à Prefeitura de Mogi, Felipe Lintz (PRTB), o político demonstra seu desejo de participar do secretariado do prefeito eleito Caio Cunha (Pode) afirmando que a Secretaria de Gestão iria ficar sob seu comando. "A Secretaria de Gestão, que cuida das licitações, vai ser minha" evidenciam os áudios.

O futuro chefe do Executivo logo tratou de descartar que tal cargo será assumido por Lintz ou por alguém por ele indicado, afirmando que os ex-candidatos podem sugerir nomes, mas cabe a ele e seu grupo decidir quem comporá o primeiro escalão.

"Eles podem me sugerir qualquer tipo de pessoa, porém é a gente que seleciona. Tem que ser técnico, de confiança e pelo nosso propósito", disse Cunha. "Eu conversei com todos os candidatos, todos foram éticos e não me pediram nada, inclusive o Valverde", completou o futuro prefeito se referindo ao vereador e terceiro candidato mais votado no primeiro turno, Rodrigo Valverde (PT).

Nos áudios, Lintz é gravado em conversa com outras pessoas e fala que irá sugerir nomes ao cargo, e que, caso não realizem um bom serviço, poderiam ser demitidos por Cunha. "A secretaria (de Gestão) vai ser minha, mas com pessoas técnicas, com muita confiança, e de minha plena confiança. O senhor pode ficar absolutamente tranquilo para poder, não gostando da pessoa, o senhor tirar", diz em um trecho do áudio, ensaiando como seria a conversa com Cunha.

O vereador Caio Cunha disse que o ex-candidato Lintz tentou articulações com a presidente do Podemos, a deputada federal Renata Abreu. "O Felipe tentou a articulação com a Renata, ele tentou ir por cima, mas em Mogi quem decide sou eu", cravou Cunha.

Em outro áudio, Lintz insinua sobre a sexualidade do atual secretário de Cultura, Mateus Sartori, de forma ofensiva, e diz que ele e o deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) são "namorados" e que o parlamentar se aproveita de verbas da Cultura.

A reportagem tentou contato com Felipe Lintz, que não atendeu as ligações. (F.A.)

Deixe uma resposta

Comentários