Cunha anuncia criação e fusão de Pastas e nomes de secretários

Anúncio ocorreu no escritório de campanha de Cunha
Anúncio ocorreu no escritório de campanha de Cunha - FOTO: Eder Veiga
Restando cerca de 20 dias para tomar posse como prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Podemos), anunciou ontem a criação de duas novas secretarias municipais, alterações na atuação de outras e o nome de dois secretários.

Serão criadas as Pastas de Sustentabilidade e Inovação (que englobará boa parte das funções da atual Secretaria de Verde e Meio Ambiente) e a de Transparência e Participação.

Também foi oficializada a extinção da Secretaria de Verde e Meio Ambiente e a anexação de Obras e Serviços Urbanos. A princípio, a informação era de que Obras seria fundida com Planejamento e Urbanismo, que ficaria com o secretário Claudio de Faria Rodrigues, entretanto, o titular permanecerá com sua atual secretaria e um novo técnico para Obras e Serviços Urbanos será anunciado.

Com as alterações, Mogi continua com a mesma quantidade de secretarias da atual gestão.

Ontem, no escritório de campanha, Cunha também anunciou os nomes do advogado Sylvio Alkimin para a Secretaria de Assuntos Jurídicos e Lucas Nóbrega Porto como chefe de Gabinete. Francisco Camargo, confirmado para a Secretaria de Governo, também esteve presente e terá funções mais políticas, como a interlocução com a Câmara Municipal. Já a função de chefe de Gabinete cuidará da parte de gestão do projeto do grupo de Caio Cunha. "Tudo que estamos fazendo aqui é tudo com muito rigor técnico. Queremos uma cidade onde a parte técnica é para quem é técnico e a parte política é para quem é político", explicou Cunha, ressaltando a participação de sua vice-prefeita, Priscila Yamagami (Podemos), no processo de escolha do secretariado.

Em relação a Secretaria de Verde e Meio Ambiente, o prefeito eleito dividiu sua atuação hoje em dia em três principais frentes: projetos e programas voltados à conservação ambiental, poda de árvores e emissão de licenças ambientais.

O primeiro item será captado pela nova Secretaria de Sustentabilidade e Inovação; já a poda de árvores passará a ser de responsabilidade da Pasta de Obras e Serviços Urbanos e a emissão de documentos do tema caberá a de Planejamento e Urbanismo.

Todas estas mudanças como a criação e anexação de Pastas só começam a ser estruturadas a partir da posse de Cunha, em 1º de janeiro, e mediante aprovação da Câmara Municipal.

Para a próxima semana, Cunha prometeu anunciar os secretários de Desenvolvimento Social (antiga Assistência Social), Mobilidade Urbana (antiga Transporte) e Educação.

CUNHA CRITICA ATUAL GOVERNO POR PROBLEMAS NA TRANSIçãO

Durante coletiva para anunciar mudanças para sua gestão, o prefeito eleito Caio Cunha (Pode) criticou a postura da secretaria municipal de Educação, Juliana Guedes, em não assinar o contrato com as creches subvencionadas, dificultando o processo de transição entre os governos.

O vereador também criticou a interferência do atual prefeito Marcus Melo (PSDB) na articulação para escolha do novo presidente da Câmara Municipal, que ocorre em 1º de janeiro, e a confusão criada com a associação beneficente Abomoras, que por conta de um contrato também não assinado, passa por dificuldades com o risco de fechar as portas.

Melo e Cunha devem se encontrar hoje para discutir diversos temas, dentre eles, o processo de transição que se tornou "difícil" na avaliação do próximo prefeito.

O tema foi discutido logo após o coordenador do processo de transição (e futuro secretário de Gabinete), Lucas Porto, encerrar sua resposta sobre o período até que Cunha assuma o cargo de prefeito.

“A gente espera de verdade que a mesma cordialidade que iniciou-se com a ligação do prefeito Melo falando sobre fazer uma transição tranquila, de fato aconteça até o fim”, iniciou Cunha. “Infelizmente temos questões que a gente espera reverter em termos de atitudes do governo atual para que a cidade não seja prejudicada”, completou.

A secretaria Juliana é um antigo desafeto do parlamentar Cunha, devido outros embates que já protagonizaram nos últimos anos. O prefeito eleito disse que a eleição já passou e que tal atitude da titular da Pasta poderá prejudicar as creches subvencionadas.

“Começamos a pensar: 'poxa é para ser uma transição pensando na cidade ou pensando de um governo para o outro?'”, pontuou Caio Cunha.

Deixe uma resposta

Comentários