Operação Verão tem início com atividades de rotina

Com a ausência das chuvas intensas nesta primeira semana de dezembro, as equipes que já estão alinhadas para atuar na Operação Verão em Mogi das Cruzes têm exercido apenas as atividades de rotina. Dentre elas, as principais são o contato frequente com a Defesa Civil do Estado de São Paulo e o monitoramento de áreas de risco e da quantidade de chuvas.

No município, a operação começou no dia 1º deste mês e deverá ocorrer até o dia 31 de março de 2021. Durante todo este período, Mogi tem como prioridade o atendimento a emergências ocasionadas pelas chuvas e o acompanhamento das áreas de risco.

A Operação Verão 2020/2021 é disciplinada pelo decreto municipal 19.633/2020 e é realizada mediante o Plano de Contingência, que define as diretrizes a serem desenvolvidas, as responsabilidades de cada um dos órgãos participantes, o sistema de atendimento a emergências, os locais de atenção específica e de monitoramento, entre outras orientações.

Segundo a Secretaria Municipal de Segurança, algumas áreas na cidade merecem maior atenção. "De acordo com o Plano de Contingência municipal, Mogi das Cruzes conta com cinco áreas com risco de deslizamento, como a Vila São Paulo no Botujuru, Parque Residencial Itapeti, Jardim Piatã, Vila Nova União e Jardim Aeroporto III.", pontuou a Pasta.

A cidade não possui áreas com risco iminente de deslizamento e as existentes são particulares e regularizadas.

Para impulsionar ainda mais a contingência de enchentes e alagamentos, a Operação Verão é coordenada pela Secretaria Municipal de Segurança, por meio da Coordenadoria de Defesa Civil, e conta com a participação de diversas secretarias municipais. Algumas delas são o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Guarda Civil Municipal, Defesa Civil do Estado, Corpo de Bombeiros, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual, Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), Tiro de Guerra, Serviço de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e EDP.