Mortalidade por Covid-19 está ligada a três fatores de risco

Diferente do que se possa imaginar, as mortes por coronavírus (Covid-19) não dependem exclusivamente da falta de resistência às complicações do vírus. A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) revelou que a maior parte das pessoas que contraíram a doença e também foram a óbito, em Mogi das Cruzes, eram diagnosticadas com algum tipo de cardiopatia, diabetes ou doença renal. Estas são, respectivamente, as três condições verificadas nos moradores que não resistiram à doença.

Das 511 mortes pela Covid-19 até o final da tarde de anteontem, 51,5% das pessoas sofriam de cardiopatias, 36% de diabetes e 10,6% de doenças renais. Além disso, o quarto maior fator de risco mais frequente entre os falecimentos está relacionado às doenças neurológicas, que representam 8,8% do total dos óbitos no município.

Ainda de acordo com a Fundação Seade, do total das 10.654 confirmações da Covid-19 desde o início da pandemia, 10,5% dos infectados têm alguma cardiopatia e 7,5% têm diabetes, enquanto 1,1% sofrem de doenças renais. Os problemas neurológicos ocupam a quarta colocação, com 0,8% do total.

Os números mais atualizados da Prefeitura de Mogi, até a manhã de ontem, apontaram que 10.254 moradores que contraíram o vírus já estão curados da doença, enquanto 1.120 ainda têm o vírus ativo no organismo. Os leitos de Enfermaria estavam ontem com uma ocupação de 52,5% por pacientes com a doença, além da ocupação de 84,3% nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Assim como ocorre em Mogi das Cruzes, as outras cidades do Alto Tietê que fazem parte do grupo dos cinco municípios mais populosos, o G5, os fatores de risco para a gravidade do quadro de quem tem a Covid-19 são exatamente os mesmos.

Estado de São Paulo

Nos casos de mortes em todo o território paulista, os principais fatores de risco são cardiopatias (59,9% dos óbitos), diabetes mellitus (43,2%), doenças neurológicas (10,8%), renais (9,4%), pneumopatia (8,3%). Outros fatores identificados são obesidade (8,3%), imunodepressão (5,5%), asma (3,1%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,7%), Síndrome de Down (0,4%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 35.517 pessoas que faleceram por Covid-19 (80,2%).