Fabricante de medicamentos vai investir R$ 35 mi em Mogi

Com previsão de gerar 25 empregos diretos e até 50 indiretos, e um investimento de R$ 35 milhões, uma empresa farmacêutica oficializou, na semana passada, a compra de um terreno no distrito industrial do Taboão e deve começar os trabalhos de construção de sua fábrica no início do próximo ano. A informação foi confirmada à reportagem na segunda-feira pelo diretor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Costa

Segundo técnicos da secretaria, a empresa ainda não apresentou um cronograma de obras nem de ocupação do local, mas já tem planos bem definidos para a cidade. O anúncio oficial do nome da empresa deve ser feito nos próximos dias pela plataforma Investe São Paulo.

A farmacêutica especializada em medicamentos de oncologia investirá cerca de R$ 35 milhões em Mogi das Cruzes, inclusive com a compra de uma área maior do que a ser utilizada no início da operação. Isso porque os planos da empresa já projetam a expansão da marca para, no futuro, instalar outra fábrica de medicamentos no mesmo terreno.

Mesmo com a quantidade relativamente baixa no número de empregos gerados, o diretor explicou que os salários pagos pela empresa são altos, devido ao grau de conhecimento necessário para o processo.

Um dos principais motivos da vinda da marca é a proximidade com São Paulo. Por utilizar produtos com grau de radiação, a distância de sua planta atual, instalada no interior do Estado, obrigava que a empresa gastasse mais com a logística para transportar medicamentos para a capital. Estando a 40 minutos de São Paulo, a companhia espera reduzir seus gastos com o transporte de medicamentos.

Segundo Costa, que esteve com representantes da empresa em reunião com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na manhã de segunda para liberação da planta em Mogi, a vinda da farmacêutica representa a chegada de um novo cenário a ser explorado. "Trazemos um novo segmento para a cidade. Estamos trabalhando muito para a vinda mais breve possível da marca", explicou o diretor.

Ainda de acordo com Costa, o comitê de transição entre o atual governo e o do prefeito eleito Caio Cunha (Pode) foi informado da compra do terreno, e se mostrou interessado em prestar auxílio à empresa para que o processo de instalação da marca ocorra normalmente mesmo com a troca de comando. "Quando foi para o segundo turno ficou um clima de incerteza e parou todo o processo de vinda da empresa. Mas ele foi retomado e os projetos avançaram. Agora não tem mais volta, a empresa vai se instalar aqui", completou Costa.

Agestab

Apesar de ainda não ter sido informada oficialmente sobre a chegada da farmacêutica, a Associação Gestora do Distrito do Taboão (Agestab) disse que avalia com grande satisfação a chegada de mais uma empresa ao Taboão e que, a vinda de mais uma marca ao local, ressalta a importância do distrito, enquanto polo de geração de emprego."A Agestab se coloca à disposição desta e todas as empresas que acreditam no associativismo e no poder da união", disse por meio de nota a entidade.