Prefeitos reeleitos são favoritos a assumir o Condemat em 2021

Prefeito de Salesópolis, Vanderlon Gomes, ainda não ocupou o cargo de presidente do Condemat
Prefeito de Salesópolis, Vanderlon Gomes, ainda não ocupou o cargo de presidente do Condemat - FOTO: Arquivo/Mogi News
A eleição para escolha do novo presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) ocorre em 5 de janeiro com a tendência de eleger ao cargo mais importante do grupo um dos três prefeitos reeleito nas eleições deste ano.

Segundo informações apuradas pela reportagem, a presidência do Condemat deve ficar entre Gustavo Henric Costa (PSD), o Guti, prefeito reeleito em Guarulhos; Vanderlon Gomes (PL), de Salesópolis, ou Rodrigo Ashiuchi (PL), de Suzano. Apensas os três, dos 12 municípios que integram o Condemat, tiveram prefeitos reconduzidos ao cargo.

A intenção, segundo os bastidores do consórcio, é manter a linha de condução dos trabalhos que vêm sendo realizados nas últimas gestões, entendendo que alguns dos prefeitos eleitos que assumirão seus mandatos em 2021 estarão empenhados em dar início às gestões municipais e precisarão de tempo para tal tarefa. Por isso, a escolha de um prefeito que já está em mandato ganha ainda mais força.

A região passou por uma forte renovação em seus chefes dos Executivos e integrantes do grupo entendem como saudável manter o modelo adotado em outras oportunidades de, no ano seguinte a eleição, eleger prefeitos que foram reeleitos em suas cidades. Foi assim em 2017 quando Adriano Leite (PL), de Guararema, - atual presidente do grupo em segundo mandato - assumiu o comando do grupo após ser reeleito no pleito de 2016.

Ao menos nos últimos cinco anos, houve consenso entre os prefeitos da região para escolha do presidente do Condemat. De 2016 até 2020, as eleições contaram sempre com apenas uma chapa concorrendo ao cargo e que foi escolhida.

Caberá ao próximo presidente do Condemat coordenar a campanha de vacinação contra a Covid-19, prevista para começar em janeiro. Em reunião recente, além da reorganização da rede de atendimento aos pacientes infectados, principalmente com ampliação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), foi discutido e proposto por prefeitos e secretários de Saúde, um plano regional para imunização dos grupos prioritários.

O Plano Nacional de Vacinação apresentado nesta semana pelo Ministério da Saúde não traz cronograma de etapa, mas o Alto Tietê faz seu planejamento baseado na escala estadual, que começa em 25 de janeiro.