Mogianas se tornam mães aos 28 anos, diz Fundação Seade

Um relatório da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) apontou que, ao passo em que as gerações avançam, as mulheres se tornam mães mais tardiamente. Em Mogi das Cruzes, por exemplo, ao longo dos últimos 20 anos, a idade média em que as mogianas engravidam aumentou pouco mais de dois anos. Em 2000, tornavam-se mães geralmente aos 26 anos, passando para uma idade média de 27,1 anos em 2010, e atingindo os 28,3 em 2019.

Para a demógrafa da Fundação Seade que participou da elaboração da pesquisa, Lucia Yazaki, a gravidez cada vez mais tardia pode estar associada às mudanças das próprias mulheres. Alguns dos fatores citados por Lucia foram o aumento da escolaridade, a maior inserção no mercado de trabalho e o desejo de evolução profissional anterior à maternidade.

"Embora a pesquisa não tenha analisado os fatos de causalidade, penso que para várias mulheres a gravidez mais tardiamente é programada para se encaixar nos seus diferentes projetos de vida. Dentre eles estão o profissional, pessoal e familiar, por exemplo", pontuou a demógrafa.

No município de Suzano, a idade média em que as mulheres se tornam mães também vem aumentando. Em 2000, primeiro período de abrangência da pesquisa, a idade média era de 25,7 anos, aumentando para 26,7 em 2010. Já em 2019, o número aumentou ainda mais, chegando à idade média de 28,1 anos.

Ainda nos três períodos, dentro dos últimos 19 anos, a pesquisa da Fundação Seade mostrou que, em Itaquaquecetuba, as idades médias das mulheres que se tornaram mães aumentaram de 25,7 anos, em 2000, para 26,2 em 2010 e 27,6 no ano passado, já em Ferraz de Vasconcelos, a idade média passou de 25,8 para 26,4 e depois, em 2019, atingiu os 28 anos. O adiamento da maternidade também foi observado em Poá, que subiu de 26,1 anos, para 27,2 e, por fim, 28,4 anos.

Em Guararema, as mulheres alcançaram a idade média dos 28 anos para decidirem se tornarem mães no ano passado. Em 2000, a média era de 25 anos, que se manteve em 2010 e aumentou para 28 anos em 2019.

As moradoras de Arujá estão com uma idade média para se tornarem mães próximo dos 29 anos, considerando que em 2019 a média era de 28,6. No ano de 2010 a idade estava em 27,3 e, em 2000, 25,8.

Ainda de acordo com o relatório da Fundação Seade, em 2019, a idade média para a maternidade das moradoras de Santa Isabel foi de 27,7 anos. Em 2010, a decisão por se tornarem mães estava na casa dos 26 anos e, em 2000, na dos 25. Em Salesópolis, a idade média passou de 25 anos para 26,6 e 27,4. Por fim, em Biritiba Mirim as idades médias evoluíram de 25,4 para 26,3 e 27 anos.