Celebração de budistas reúne rituais festivos em dezembro

Templo Ryushoji do Budismo Primordial reúne cerca de mil fieis mogianos
Templo Ryushoji do Budismo Primordial reúne cerca de mil fieis mogianos - FOTO: Divulgação
Assim como os católicos, os budistas também seguem um ritual religioso para celebrar este período festivo, que envolve o Natal e o Réveillon. No entanto, de uma forma diferenciada, seguindo as tradições típicas de sua cultura.  Eles realizam a Festa da Iluminação Budista, que é comemorada em 8 de dezembro, data em em que o príncipe indiano Siddhartha Gautama atingiu sua iluminação e se tornou Buda.

Segundo o monge Nitiyuu Correia, bispo do Templo Ryushoji do Budismo Primordial em Mogi das Cruzes, nesta festividade, cada fiel acende uma vela e realiza uma prece para Buda. "Nesta data, nós oferecemos orações para cada budista que participa e solicita ao Buda o nível de iluminação que deseja atingir. Em todo o mês de dezembro, intensificamos o alinhamento espiritual, uma de nossas prioridades", acrescentou.

A iluminação budista se refere à libertação do sofrimento e das aflições mentais. Uma mente iluminada é caracterizada pela sabedoria, compaixão e pureza com si próprio e com o outro. Por este motivo, praticar sempre o bem, deixar de lado todo o mal e controlar os próprios pensamentos são as principais lições da religião.

Neste ano, a Festa da Iluminação no Templo Ryushoji, que está localizado na avenida Pedro Machado, no Mogi Moderno, não pôde receber os idosos em decorrência das medidas de prevenção contra a Covid-19. Pensando nisso, os monges entregaram 150 doces manju aos fiéis que permaneceram em suas casas. "Oferecemos no altar sagrado os bolinhos doce Manju, consagramos com as orações do mantra da iluminação 'Namumyouhourenguekyou'. E, logo após a cerimônia, levamos para os idosos que aguardavam a homenagem. Todos nos receberam com muita emoção", afirmou o bispo budista Nitiyuu.

Ainda de acordo com o líder religioso, somente no Templo Ryushoji, existem mais de mil fiéis mogianos. Pelo perfil oriental do município, ele acredita que haja mais de 10 mil simpatizantes da religião em toda a cidade.

Outro costume budista no mês de dezembro, que se assemelha às missas católicas do final de ano, é rezar durante o término de um ano e o começo do outro. Às 23 horas de 31 de dezembro, eles realizam suas últimas orações e, a partir da meia-noite do próximo ano, voltam a orar. "Em relação às comemorações católicas, como o nascimento de Jesus, nós também a consideramos uma data importante, da mesma forma que todos os nascimentos são importantes para nós", concluiu o monge.

Solidariedade

Os membros do Templo Ryushoji realizam diversas ações beneficentes. Neste mês, eles doaram 100 fraldas geriátricas à  Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes. Também ajudaram as entidades beneficentes do bairro Vila Nova União, ao doarem  260 quilos de alimentos, que foram destinados a famílias carentes.

 

Deixe uma resposta

Comentários