Ecopontos recebem cerca de 80 kg de pilha por mês

Os três ecopontos em Mogi das Cruzes recebem cerca de 80 kg de pilhas e baterias por mês. A maioria passa pela prática da logística reversa, que obriga os estabelecimentos que vendem pilhas e baterias a receber dos consumidores esses materiais pós-consumo para o descarte regular, no entanto, parte desse material é depositado diretamente nos ecopontos.

Em Mogi, os ecopontos ficam na rua Júlio Perotti, no Jardim Armênia; rua Manoel Fernandes, no Nova Jundiapeba; e na avenida Prefeito Maurilio de Souza, no Parque Olímpico. Todo esse material é distribuído às empresas que fazem a reciclagem de sucatas.

Novo Acordo

Na semana passada, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado e a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) assinaram novos termos de compromisso de Logística Reversa (TCLR) para embalagens de tintas imobiliárias, embalagens em geral, óleo comestível, pilhas e baterias portáteis, além de Termo Aditivo ao Termo de Compromisso de Logística Reversa de baterias automotivas. O acordo prevê universalizar ações de coletas de pilhas em todos os 645 municípios do Estado até 2021. A ideia é evitar que esses produtos, altamente poluentes, sejam descartados no meio ambiente.

Logística reversa

Implantado pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a logística reversa é um conjunto de ações destinadas a viabilizar a coleta e restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial. O objetivo é que a destinação final dos materiais não seja prejudicial ao meio ambiente.

Para que as pilhas sejam recicladas, é necessária a conclusão de quatro processos: triagem, trituração, processo químico e o processo térmico. A triagem é a etapa em que as pilhas são separadas por tipo e marca e destinadas para a trituração.

Neste processo, a capa das pilhas é removida, assim as substâncias do interior podem ser tratadas. Após esta etapa, elas são submetidas a um processo de reação química em que são recuperados sais e óxidos metálicos que serão utilizados como matéria-prima em processos industriais na forma de corantes e pigmentos.

Para finalizar, no processo térmico as pilhas são inseridas em um forno industrial em alta temperatura para que ocorra a separação do zinco. Dessa forma, ele pode ser recuperado em sua forma metálica e reutilizado como matéria-prima na confecção de novas pilhas e baterias. (T.M.)