Sincomércio projeta retração de 15% nas vendas de Natal

Solução é adotar medidas usadas no início da pandemia
Solução é adotar medidas usadas no início da pandemia - FOTO: Foos: Mogi News/Arquivo
A projeção inicial do comércio de Mogi das Cruzes para as vendas do Natal era que houvesse retração de 5% na comparação com as realizadas no ano passado. Agora, com o anúncio do fechamento do comércio em dias escalonados no final do ano, o Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio) prevê queda de até 15% nas vendas em relação às registradas em 2019.

Anunciada na última terça-feira, a fase vermelha do Plano São Paulo entrará em vigor durante os dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro com o objetivo de frear o avanço no número de casos de Covid-19 e impedir aglomerações durante as festas de final de ano. Segundo o governo estadual, São Paulo registrou nas últimas quatro semanas um crescimento de 54% no número de casos. Os óbitos cresceram 34% e as internações, 13%.

A medida deverá fechar as portas do comércio em geral em todo o Estado, permitindo apenas que os estabelecimentos considerados essenciais funcionem.“Sábado, por exemplo, seria um excelente dia para o comércio. Na sexta-feira, dia 25, não costuma abrir mesmo, então, não faria tanta diferença. Agora, muita gente usaria o sábado, dia 26, para vendas e até para comprar presentes”, lamentou o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez. De acordo com a entidade, a mudança para a fase mais restritiva do Plano São Paulo durante o Natal e Réveillon, com o objetivo de conter a pandemia do coronavírus (Covid-19), aumenta as aglomerações, prejudica a economia da região e favorece o comércio clandestino.

Além da perda nas vendas, o presidente do Sincomércio falou sobre a queda no valor do ticket médio das compras neste ano. Segundo ele, o valor médio que os mogianos estão pagando neste ano é de cerca de R$ 150, valor quase R$ 100 menor do que no ano passado. “Isso significa que o pessoal está economizando no presente, o que também é ruim para o comércio, mas compreensível por conta do momento que estamos vivendo”, pontuou Martinez.

Como solução para amenizar as perdas nas vendas de Natal, medidas que já foram utilizadas durante os meses iniciais da fase vermelha serão adotadas novamente. O drive-thru para entrega de itens será realizado novamente, o delivery será intensificado, e a troca de itens será permitida. “As vendas on-line também estão acontecendo, mas os pequenos e médios lojistas não são favorecidos por, às vezes, não utilizarem as ferramentas tecnológicas”, completou o representante da categoria.

Deixe uma resposta

Comentários