Desejo antigo de construção do Sesc se concretiza em 2020

O ano de 2020 foi definitivo para oficializar a vinda do Serviço Social do Comércio (Sesc) a Mogi das Cruzes. A demanda que durou mais de 20 anos começou a se concretizar em março deste ano, quando o prefeito Marcus Melo (PSDB) assinou o documento de transferência do terreno do antigo Centro Esportivo do Socorro, juntamente com o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio SP), Abram Szajman.

Meses depois, em julho, ocorreu a cerimônia de entrega oficial da área ao Sesc. Para formalizar a ocupação da área, no mês passado, a diretoria da instituição apresentou o projeto de instalação da unidade provisória em Mogi, que deve ser finalizada em abril de 2021 e aberta ao público no mês seguinte.

Nenhuma das aulas esportivas ocorrem mais no Centro Esportivo do Socorro, como hidroginástica, futebol, natação e judô.

Neste mês, uma série de serviços são realizados no local para que, em breve, o antigo Centro Esportivo do Socorro receba a unidade provisória. Atualmente, são realizados os serviços de instalação parcial de novo calçamento externo, do tapume na divisa do terreno; da mureta de divisa para instalação do gradil; e do piso de concreto das quadras poliesportivas. Além disso, dois serviços já anunciados anteriormente continuam a ser realizados: a revisão das instalações hidráulica e elétrica e a manutenção e limpeza da cobertura das edificações.

Estão previstos na primeira fase a instalação de pista de caminhada, sala de ginástica, vestiários, praça de eventos, praça recreativa, salas multifuncionais, loja do Sesc, além de espaços destinados à administração e apoio operacional.

Na primeira etapa, o Sesc vai aproveitar as estruturas que já existem no Centro Esportivo e fazer uma adequação e reforma dos prédios, campo de futebol, quadras, bosque e piscina. Não está prevista a construção de equipamentos ou outras obras. A entrada principal será a mesma do antigo Centro Esportivo do Socorro, pela rua Rogério Tacola. Uma escadaria será instalada na entrada.

Para a segunda fase, prevista também para 2021, o Sesc projeta instalações como um espaço para café, uma carreta odontológica e um campo de grama sintética.

Benefícios

Estudos feitos pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo apontam que a vinda de um Sesc fará com que o número de pessoas atendidas salte de 1,2 mil para 30 mil ao mês. Serão mais de 700 atividades disponíveis, não apenas para pessoas ligadas ao ramo do comércio, como para a população em geral.

Além disso, a unidade tem o potencial de gerar cerca de 500 empregos diretos e indiretos. A nova unidade terá um investimento aproximado de R$ 120 milhões. Por ano, serão investidos
R$ 60 milhões em programação cultural, esportiva, social e turística O investimento para a instalação da unidade parte inteiramente do Sesc.

Atrasos

A instalação de uma unidade do Sesc sofreu atrasados em relação ao plano traçado inicialmente, principalmente por intervenção judicial. O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) suspendeu, por meio de uma liminar, a cessão da área à entidade e obrigou a Prefeitura de Mogi a refazer o projeto de lei, desta vez doando o espaço em definitivo ao Sesc.