Autuações por desrespeito à pandemia crescem 82%

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Mogi das Cruzes registrou 82% a mais de autuações neste mês em comparação ao mês anterior por desrespeito às regras referentes à pandemia do novo coronavírus. Segundo informações da Secretaria Municipal de Segurança, em novembro foram deferidas 17 infrações, já neste mês, a quantidade total foi de 31 multas.

Desde o início da pandemia, a GCM de Mogi aplicou 132 multas por aglomeração.

Outra irregularidade que também vem gerando autuações à população é referente à Lei do Silêncio. Entre março e novembro foram 274 mogianos multados por conta de som alto após às 22 horas. Só em novembro, foram deferidas 39 multas por conta de pancadões. Em dezembro, 57 multas deste tipo até o último final de semana.

Os valores das autuações feitas pelo Departamento de Fiscalização de Posturas são: pancadão: R$ 8.988; Lei do Silêncio: R$ 5.392,80; e desrespeito ao decreto Covid-19:
R$ 1.797,60.

Decisão

Para conter as aglomerações em épocas comemorativas de fim de ano, Mogi das Cruzes e todo o Estado de São Paulo estarão na Fase Vermelha do Plano São Paulo entre os dias 1º e 3 de janeiro.

Com a decisão do Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo, apenas os serviços essenciais estarão autorizados a funcionar nesses dias, sendo eles hospitais, clínicas, farmácias, lavanderias e serviços de limpeza e hotéis, supermercados e congêneres, bem como os serviços de entrega de bares e restaurantes; transportadoras, postos de combustíveis e derivados, armazéns, oficinas de carros e bancas de jornal.

Na fase vermelha, durante os dias 1º e 3 de janeiro, o atendimento presencial será proibido nos shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares, restaurantes, academias, salões de beleza e estabelecimentos de eventos culturais. Após esse período, a partir de 4 de janeiro. o funcionamento do comércio deverá voltar à Fase Amarela do Plano São Paulo.