Edital de concessão de estações da CPTM será liberado neste mês

Estações, como a de Jundiapeba, terão área comercial para instalação de bares, lojas e restaurantes
Estações, como a de Jundiapeba, terão área comercial para instalação de bares, lojas e restaurantes - FOTO: Arquivo Mogi News
A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) confirmou, recentemente, que há a previsão de que o edital de concessão das estações Estudantes, Mogi das Cruzes e Jundiapeba, na Linha 11-Coral, seja publicado até 31 de janeiro de 2021.

A estatal informou ter concluído, neste mês, os estudos para a concessão das estações e que a diretoria da companhia já autorizou o início do procedimento licitatório para que o edital seja produzido. A notícia agradou a população, mas ainda gera dúvidas quanto ao modelo a ser seguido e às mudanças que ocorrerão nos espaços tanto internos quanto externos.

Há a pretensão de promover o comércio nestes locais. O chamamento público de janeiro de 2019 recebeu, inclusive, ao longo deste ano, anteprojetos de engenharia e de empresas para uso comercial do espaço interno das estações. Inicialmente, esperava-se que a publicação do edital ocorresse em dezembro, depois da formulação do "Projeto Mogi das Cruzes". Agora, a expectativa é de que o novo prazo seja cumprido.

A concessão representa uma nova fase no transporte público administrado pelo governo do Estado na região de Mogi das Cruzes, com a possibilidade de mais conforto e qualidade para os passageiros. O projeto prevê reformas nas estações, adaptações necessárias e o uso comercial do espaço interno, que será de livre circulação à população. Ainda não há prazo para o início ou término das obras. Os valores relacionados à concessão também não foram divulgados.

Nas áreas comerciais, há possibilidade de instalação de bares, restaurantes, lojas e outros serviços. A entrega do espaço para a iniciativa privada levanta ainda outra pauta importante: a integração tarifária entre os ônibus municipais e a CPTM, outra reivindicação antiga da população.

Mesmo com a pandemia do coronavírus, o chamamento público, o encaminhamento dos anteprojetos e o início da análise desses conteúdos não sofreram atrasos no cronograma de execução da concessão das estações mogianas.

Braz Cubas

A Estação Braz Cubas foi excluída do lote inicial pelas características estruturais e geográficas, segundo a companhia. "Estas características demandam um estudo mais aprofundado da CPTM, necessitando certame apartado das demais para melhor atender aos requisitos necessários", ressaltou a estatal.

O presidente da CPTM, Pedro Moro, também destacou o movimento diferenciado para responder ao apelo da população do distrito - que leva o nome da estação - por melhorias. Diante das características distintas, em outra oportunidade, a estatal chegou a afirmar que inserir Braz Cubas no projeto de concessão das outras três estações seria uma atitude irresponsável.

A promessa é que, assim como deve acontecer com as outras três estações mogianas, a Estação Braz Cubas também passará por consulta pública para concessão, incluindo reforma da estrutura e ampliação do espaço comercial.

Deixe uma resposta

Comentários