Time passa 3º jogo sem ser vazado, mas sofre no ataque

Em um Brasileirão no qual parece destinado a ser figurante, pois indica não ter força para brigar pelas primeiras posições e também vai construindo uma vantagem segura para a zona de rebaixamento, o Corinthians busca o que comemorar e valorizar. E, de acordo com os últimos jogos, pode ser a segurança defensiva. Afinal, na última quarta-feira, completou três compromissos seguidos sem ser vazado.

Nas últimas três rodadas, o Corinthians empatou duas vezes por 0 a 0, contra Grêmio, em casa, e Fortaleza, no Castelão, na noite de quarta, e venceu o Coritiba por 1 a 0, no Couto Pereira. Desde o início do Brasileirão, o time não passava tantos compromissos sem tomar gol.

Esse desempenho deixa o time em situação segura na briga para seguir na elite. O Corinthians, afinal, é o 10º colocado, com 30 pontos e seis de vantagem para a zona de rebaixamento. Só que a distância para o G-6, a zona de classificação à Libertadores, está em sete pontos. Por isso, era importante triunfar no Castelão.

"É o terceiro jogo sem sofrer gols. Então a parte defensiva está se ajustando, falta ajustar do meio para frente", afirmou o técnico Vagner Mancini, reconhecendo que o Corinthians ainda precisa evoluir no setor ofensivo.

Como a partida diante do Fortaleza foi antecipada do fim de semana, o Corinthians só voltará a jogar em 13 de dezembro, quando receberá o São Paulo, na Neo Química Arena. Para esse compromisso, o time perdeu Jô, expulso no Castelão. O centroavante é um exemplo claro de como o ataque corintiano não tem funcionado, tanto que ele completou o 10º jogo consecutivo de jejum.

"Jô oscilou, assim como a equipe. Ele teve dificuldade porque não tivemos a velocidade necessária no primeiro tempo. No segundo, quando encaixamos, teve a expulsão", afirmou.

Poucas horas após o empate com o Fortaleza, o Corinthians voltou ontem aos treinos ainda em solo cearense. Os jogadores que não atuaram por mais de 45 minutos trabalharam na Praia de Mucuripe, na capital.

Sob o comando do preparador físico Flávio de Oliveira, os jogadores fizeram exercícios de velocidade, saltos e controle de bola na areia. Na parte final, os atletas jogaram futevôlei e entraram no mar. Os demais atletas fizeram apenas trabalho regenerativo no hotel. (E.C.)

Deixe uma resposta

Comentários