Aflições e ilusões ao povo

O Brasil vive momentos de pavor. A loucura por controle de alguns governantes massacra o povo. A sociedade está desiludida e grande parte dos brasileiros passa por aflições devido à crise que se atravessa: milhões de desempregados, falta de vagas em hospitais, crianças presas em casa e aulas virtuais, os idosos sob controle e isolados em seus lares como se estivessem em uma gruta, violência que cresce em todo o país e o grande risco do Brasil ser invadido por países vizinhos sendo auxiliados por nações europeias e asiáticas.

Há governadores e prefeitos que estão enganando o povo e não fazem os investimentos corretos para as maiores necessidades da sociedade. Felizmente as ideologias macabras se despencaram nestas eleições, mas não se pode iludir, pois se preparam para outras arrancadas e se vestem de anjos e carneiros, mas dentro de si estão leões e outros males que deixam Satanás com inveja.

O Artigo 5º. Da Constituição estabeleceu: "Todos são iguais perante a Lei". Mas, analisem e reflitam trata-se igualdade jurídica e não igualdade real. Não há igualdade real no mundo, a não ser algumas tribos indígenas. Caso todos os bens do Brasil fossem divididos para todos, passados cinco minutos, os mais espertos dominariam os menos espertos. Portanto, é uma grande ilusão.

Quem dos socialistas brasileiros residiria em Cuba, Venezuela, Nicarágua, Bolívia ou Coréia do Norte? É óbvio que ninguém. Os socialistas daqui pregam a ideologia, mas não suportariam viver em regime de igualdade real.

No momento há uma aflição devido à crise da pandemia e os líderes políticos oportunistas tirando proveitos. Quanto à igualdade real somente acontecerá um dia, se 99% dos habitantes do planeta agir e pensar como Jesus, Madre Teresa de Calcutá e Mahatma Gandi e todos se desapegarem dos seus bens materiais. O povo e os líderes das ideologias vão se desapegar dos seus bens materiais? Jamais. Por ora é mera ilusão e enganação.