Mudança pelo quarto

O episódio do deputado estadual Fernando Cury (Cidadania), flagrado pelas câmeras da Assembleia Legislativa (Alesp) tocando a região dos seios da também deputada Isa Penna (Psol) durante sessão ocorrida ontem, revoltou muita gente, e com razão. Converse com os jovens. O tempo de se aproveitar da mulher na hora de conversar ou cumprimentar, passou. Nunca foi correto, mas era comum. Hoje é inaceitável.

A diferença é que antes a maioria das mulheres não tinha em mente que estavam no direito de chamar atenção para esses atos. Na Alesp, um procedimento para investigar a conduta deve ser instaurado o quanto antes. E que isso sirva como alerta geral.

Temos falsos dogmas instalados no Brasil e no mundo que devem acabar. E a postura das vítimas é fundamental para essas mudanças estruturais, como o racismo. Ainda envolvendo as mulheres, vale lembrar que temos poucas em cargos de diretoria. Em qualquer canto do planeta, as prefeituras, contando aí os vice-prefeitos, são pouco representadas pelo sexo feminino. Nas cidades do Alto Tietê, serão 30% dos cargos ocupados por mulheres. Ferraz de Vasconcelos e Poá serão comandadas por Priscila Gambale (PSD) e Marcia Bin (PSDB), enquanto Mogi das Cruzes, Biritiba Mirim, Salesópolis e Santa Isabel terão mulheres à frente das vice-prefeituras, que serão ocupadas por Priscila Yamagami (Podemos), Adriana Rufo (PL), Jane Correa (PSD) e Teresinha Lopes (PV), respectivamente.

Não é um número desprezível, pelo contrário, é quase um terço dos poderes Executivos regionais. Ponto positivo.

A mentalidade pode começar a mudar a partir daí, desse número de mulheres em cargos importantes, e talvez até seja um bom momento para que elas tenham algum tipo de programa ou projeto para combater o machismo e o abuso. Um grupo de discussão pode ser criado, até por meio do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), para que essa ideia ganhe força regional.

Seria um passo importante para mudar esse comportamento. A mudança do mundo começa pelo nosso quarto. Que nossa região faça sua parte.