Pelos olhos de Deus

Platão, o célebre filósofo grego, afirmou haver três fontes válidas de conhecimento: 1 - Os cinco sentidos - tato, paladar, olfato, audição e visão que o homem compartilha com o reino animal; 2 - Razão que o distingue dos animais; 3 - O mundo espiritual da comunicação sobrenatural.

Mais tarde, o discípulo de Platão, Aristóteles, eliminou a 3ª fonte, a faculdade totalmente intuitiva pela qual o homem recebe ou obtém percepção divina. Justificou a atitude ao afirmar que o conhecimento vem apenas pelo uso dos cinco sentidos e da razão. O mundo ocidental foi profundamente afetado pelo ensino de Aristóteles, pois em culturas orientais e primitivas sempre houve o convívio com o mundo dos sonhos, visões e comunicação sobrenatural.

O próprio Jesus disse à mulher samaritana que os verdadeiros adoradores de Deus são os que o adoram em espírito e em verdade. A oração é o canal espiritual através do qual nos apresentamos diante do trono de Deus; nós falamos da terra e Ele nos responde do céu.

Aristóteles materializou a sua fé e ela o impediu de ultrapassar os finitos limites humanos pelo espírito. A nossa única regra de fé e prática, a Bíblia, existe pela Revelação Divina, em forma de diálogo, entre Deus e Moisés. Este canal de verdade e graça que Ele mantém conosco através da oração e da comunhão diária com a Sua Palavra são privilégios enormes do Pai Celestial para com seus filhos na terra.

Quase um ano de pandemia nos aterrorizaram, muitos perderam a vida, outros o emprego, portas se fecharam no comércio, a produção industrial se abalou, confinados nos nossos lares a preocupação aumentou. O Deus que fez os céus e a terra é maior que as nossas preocupações e Ele não tem crise. Os Seus celeiros são ricos e atulhados de bênçãos, e suas portas se abrem para você pela oração.

Se você está triste e abatido, nesse final de ano, olhe para o Ano Novo pelos olhos do Senhor e o nevoeiro espesso da ansiedade se dissipará num belo sol de confiante esperança nas ricas promessas do Senhor.

Deixe uma resposta

Comentários