Alto Tietê reduz em 84% os casos de dengue em dois anos

Balanço realizado com as principais prefeituras do Alto Tietê apontou uma queda de 84% nos casos de dengue nos últimos dois anos na região. O levantamento foi feito nas principais cidades. No ano passado foram registrados 101 infectados pelo mosquito contra 635 do ano anterior. O destaque vai para Ferraz de Vasconcelos, que dentre as cidades da região, não contabilizou um único caso no ano passado. 

Mesmo com a redução dos casos em plena pandemia, as prefeituras da região não se descuidaram das ações preventivas. Nesta semana, em Suzano, apesar da queda dos casos registrados de 200 em 2019 para 34 no ano passado, foram reiniciadas as ações em pontos estratégicos da cidade onde há maior possibilidade de se encontrar recipientes com larvas do mosquito como ferros-velhos, depósitos de reciclagem, entre outros locais. A Vigilância Epidemiológica também ressaltou que a redução está atrelada à quarentena.

Só na cidade de Itaquá, em 2019 a Secretaria Municipal de Saúde somou 245 casos de dengue. Já em 2020, no ano anterior, o total foi de 33 novos diagnósticos positivos da doença. Segundo a Prefeitura, o motivo da queda pode estar relacionado ao período de quarentena pela Covid-19, quando as pessoas aproveitaram a permanência em casa para eliminar os focos do mosquito aedes aegypti.

Nesta semana, em Suzano, apesar da queda dos casos registrados de 200 em 2019 para 34 no ano passado, foram reiniciadas as ações em pontos estratégicos da cidade onde há maior possibilidade de se encontrar recipientes com larvas do mosquito como ferros-velhos, depósitos de reciclagem, entre outros locais. A Vigilância Epidemiológica também ressaltou que a redução está atrelada à quarentena.

A Secretaria de Saúde de Mogi contabilizou 144 casos de dengue em 2019 e 34 no ano passado. Para a Prefeitura de Mogi, a questão é multifatorial.  Além da quarentena, as variações cíclicas (variações no comportamento , incidência, prevalência, mortalidade, letalidade das doenças em ciclos periódicos) também causaram a queda dos casos da dengue.

Outro fator são as condições climáticas, que também podem influenciar na proliferação do mosquito. Dentre as ações de prevenção pela Prefeitura estão: vistoria e monitoramento de pontos estratégicos; panfletagem de orientação e o monitoramento de imóveis pelos Agentes de Controle de Vetores, seja com o objetivo de eliminar criadouros ou para avaliação da densidade larvária .

Ferraz de Vasconcelos ganhou destaque pelos números. A Vigilância Epidemiológica de informou que, em 2019, foram registrados 79 casos de dengue, e em 2020, nenhum. Em resposta, a Prefeitura de Ferraz informou que a quarentena pode ter motivado a diminuição dos casos, bem como a maior atenção com a higiene de locais com água parada, entre outros motivos. A Saúde tem promovido bloqueios casa a casa para mitigar as chances de novos casos da doença e evitar que aumentem os casos.

Deixe uma resposta

Comentários