Isolamento social em Mogi está abaixo do ideal

Comerciantes sentem os efeitos da pandemia que só permite serviços essenciais
Comerciantes sentem os efeitos da pandemia que só permite serviços essenciais - FOTO: Emanuel Aquilera
O Isolamento social em Mogi das Cruzes está abaixo do recomendado, entre segunda e quinta-feira, o índice médio ficou em 39% - o mínimo considerado satisfatório pelo governo do Estado é 55%. Os dados foram disponibilizados pelo Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (Simi) que faz a medição desde março do ano passado, quando as medidas de controle da pandemia do coronavírus (Covid-19) começaram.

O ano de 2021 começou com isolamento social abaixo do recomendado pelo governo do Estado. Após a ligeira alta registrada no Natal e no Ano-Novo, o isolamento continua abaixo dos 55% - índice mínimo considerado satisfatório para mitigar a disseminação da Covid-19. Na última semana útil, a média de isolamento ficou em 39%, individualmente, a taxa mais alta alcançada em Mogi foi registrada na quarta-feira, quando 41% dos mogianos praticaram o distanciamento.

Antes disto, na segunda e terça-feira, a cidade marcou 39 e 38%, respectivamente. Na quinta-feira passada - última atualização do sistema até o fechamento desta edição - Mogi pontuou um índice de 40% no Simi.

Na fase amarela pela segunda vez desde 7 de dezembro do ano passado, o isolamento está bem abaixo do possível se considerada a taxa registrada quando o Alto Tietê foi classificado para a fase amarela pela primeira vez, em 29 de junho. Na ocasião, Mogi chegou a ter um isolamento de 45% e chegou a alcançar até 50% nas semanas seguintes.

Apesar do Natal também não ter superado o mínimo recomendado, até 45% dos mogianos respeitaram o isolamento social durante a data e o Ano-Novo também foi mais respeitado, alcançando 46%.

Ambas datas marcam uma exceção nos hábitos de isolamento, porque antes das comemorações, Mogi só tinha alcançado um índice semelhante no início de novembro, quando ainda se encontrava na fase verde.

De lá para cá, os índices oscilaram em queda, registrando em até 37% durante os dias da semana, entre segunda e sexta-feira, quando o deslocamento costuma ser maior em decorrência do trabalho diário e outras atividades rotineiras.

O Simi mede o índice de isolamento por meio de uma parceria com as operadoras para que o governo estadual possa consultar informações sobre o deslocamento.

* texto supervisionado pelo editor

Deixe uma resposta

Comentários