Programa fecha ano com mais de 12 mil imóveis regularizados

Proposta é desenvolvida pelo governo junto às prefeituras
Proposta é desenvolvida pelo governo junto às prefeituras - FOTO: Felipe Claro/Arquivo Mogi News
O programa de regularização fundiária Cidade Legal fechou o ano de 2020 com 12.750 imóveis regularizados, em 74 municípios paulistas. Também foram emitidas ordens de serviços que somam R 37,6 milhões para iniciar trabalhos de regularização em núcleos habitacionais, beneficiando 158.415 famílias que hoje moram em núcleos não legalizados e esperam obter o seu título de propriedade e com isso a segurança jurídica.

O programa é desenvolvido pela Secretaria de Estado da Habitação, em parceria com as prefeituras, e atua para acelerar e desburocratizar os processos de regularização fundiária no Estado de São Paulo. Só nos últimos dois anos, foram emitidas ordens de serviço no valor R73,7 milhões, que vão beneficiar mais de 270 mil famílias, e regularizados 31.738 imóveis em 104 cidades.

A partir da entrega do título, os moradores passam a ser legalmente proprietários de seus imóveis, antes irregulares. "Agora, essas pessoas podem realizar qualquer transação com o imóvel, ou reformá-lo como bem entender, tendo a certeza de que o documento garante segurança jurídica. E

Em 24 meses de trabalho viabilizamos mais de 31 mil títulos de propriedade em todo o Estado. E vamos dar continuidade ao trabalho para beneficiar mais famílias", disse o secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary.

O Cidade Legal é decisivo para a regularização fundiária nos núcleos habitacionais. O programa apoia tecnicamente as prefeituras em todo o processo legal e burocrático para emissão dos títulos de propriedade, por meio de consultoria da equipe técnica especializada da Secretaria da Habitação. Atualmente, possui 545 municípios conveniados, com 9.730 núcleos habitacionais inscritos.

Deixe uma resposta

Comentários