Região planeja uma forma segura para retomar as aulas

As aulas presenciais nas escolas da rede municipal e nas creches conveniadas de Suzano devem ter início apenas quando todos os profissionais da Educação estiverem vacinados contra o novo coronavírus. A medida foi confirmada nesta semana pela administração municipal, quando relembrou que o início do ano letivo será no dia 8 de fevereiro, ainda por meio das plataformas digitais.

Já em Mogi das Cruzes, a decisão sobre o retorno presencial das aulas será pautada pelas evidências científicas, pelo bom senso e pela opinião da população, conforme explicou a Secretaria Municipal de Educação. "Será lançada na semana que vem nova consulta pública aos pais e responsáveis para identificar o grau de concordância com o retorno presencial e quais devem ser as ações essenciais para a garantia de segurança sanitária", acrescentou.

Um comitê intersetorial para tratar da questão da Covid-19 já foi formado pela administração municipal, com a participação de diversas pastas, incluindo agora a Secretaria de Educação e que está sendo liderado pela vice-prefeita, Priscila Yamagami. Até o momento, defende-se que não haverá retorno presencial sem a segurança para alunos, professores e servidores, de maneira que, por enquanto, o ensino remoto será mantido.

No entanto, o planejamento para um futuro retorno vem sendo realizado. A secretaria está  fazendo adequações em todas as escolas, formação dos profissionais e criação de um plano de acolhimento emocional, orientadas por uma Brigada da Pandemia na Educação e pela situação epidemiológica nos bairros.

Já a Secretaria de Educação de Itaquaquecetuba, ainda está movimentando reuniões para decidir sobre o assunto. Assim como a Secretaria de Educação de Ferraz de Vasconcelos, que tem promovido reuniões com o Conselho Municipal de Educação para discutir sobre a volta às aulas presenciais na cidade. A pasta já possui um plano prévio de retomada das aulas nas unidades, mas cabe lembrar que nada está definido, e a equipe vem se pautando pelas orientações do governo do Estado.

No caso de um retorno presencial, a equipe de Ferraz adianta que a retomada ocorrerá de forma gradativa, visando à segurança de todos. A rede está organizando a porcentagem de alunos que poderá estar presente em cada unidade nas primeiras fases do plano, a implantação do ensino híbrido e adequação dos espaços e o reforço quanto aos protocolos sanitários. A pasta afirmou, ainda, que as informações oficiais sobre o assunto só poderão ser divulgadas depois que o plano for aprovado pela Secretaria Municipal de Saúde. Com relação à Secretaria de Educação de Poá, não houve respostas aos questionamentos até o fechamento desta edição.

ALUNOS TERãO ATIVIDADES REMOTAS E PRESENCIAIS

Em reunião virtual extraordinária, o Conselho de Prefeitos do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) discutiu a retomada das atividades escolares de maneira gradual e com segurança. Por consenso da maioria, as atividades pedagógicas, didáticas e de acolhimento serão liberadas em fevereiro nas redes municipal, estadual e privada, com aulas presenciais a partir de março, dependendo da evolução da pandemia de coronavírus.

As dificuldades enfrentadas pelos municípios na questão dos recursos humanos devido ao grande número de servidores afastados e que fazem parte do grupo de risco; assim como a necessidade da estruturação das unidades escolares aos protocolos de segurança e, principalmente, o cuidado em aguardar o início da imunização contra a Covid-19 e o pleito para inclusão dos profissionais da educação no grupo prioritário da vacinação, pesaram na decisão dos prefeitos de postergarem o retorno das aulas presenciais. "Estamos nos preparando para uma retomada gradativa e com segurança pensando na saúde das crianças. Em fevereiro, a maior parte dos municípios fará o ensino remoto e, esporadicamente, atividades pedagógicas de acolhimento, enquanto se avança na estruturação das unidades escolares e nos protocolos para retomada das aulas presenciais em março, as quais poderão ser em rodízio, de forma conjugada com o ensino híbrido", resumiu o presidente.

A evolução dos casos de coronavírus será decisiva para esse retorno das atividades.

Deixe uma resposta

Comentários