Miled Cury deixa boas lembranças

O ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira, Miled Cury Andere, faleceu na tarde de ontem, três semanas após completar 100 anos. E o seu maior sonho era justamente se tornar um centenário.

No seu aniversário, 25 de dezembro ele caiu no banheiro, quebrou uma costela e estava hospitalizado desde então. Foi ficando fraco até falecer na tarde de ontem.

Lúcido, muito conhecido, simpático, querido e com boas histórias para contar, Miled Cury já foi de tudo um pouco, ocupando funções na Câmara de Mogi da Cruzrs, no Rotary Club; como festeiro e devoto da Festa do Divino Espírito Santo e na Associação Mogicruzense de História, Artes e Letras (AMHAL).

Miled foi combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB), tendo lutado na Itália nos anos de 1944 e 1945. Foi um dos fundadores da Associação dos Expedicionários Mogianos e seu presidente por várias gestões.

Foi vereador na Câmara Municipal de Mogi das Cruzes de janeiro de 1956 a dezembro de 1959 (3ª Legislatura), tendo sido presidente do Legislativo no ano de 1957.

Ainda em 1957 instalou a Escola Industrial Presidente Vargas em Mogi das Cruzes, onde se aposentou como diretor.

Atuava na Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes como voluntário desde 1956. Em 1993, foi festeiro da tradicional festa. Em 1994, foi um dos fundadores da Associação Pró-Divino, ocupando vários cargos em sua diretoria, inclusive de presidente.

Em 1953, tornou-se associado do Rotary Club de Mogi das Cruzes. Atuou em todos os cargos de diretoria e foi presidente na gestão 1996-1997.

Foi patrono da Associação Mogicruzense de História, Artes e Letras (AMHAL) e autor do livro "Memórias de um Mogiano na FEB", editado pela Edusp (Com-Arte 2011) e dos livros "Retalhos", "Retalhos II", "Retalhos III" e "Reminiscências", todos com editoração própria. Seu último livro foi "Frio a Frio", baseado em fatos da Guerra, que teve impressão e distribuição feita por ele de forma artesanal, em 2018.