Cerca de 18 mil candidatos da região não prestaram o Enem

Cerca de 18 mil candidatos podem ter deixado de prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no G5, ou seja, nas cinco cidades mais populosas do Alto Tietê. Ao acompanhar o índice recorde de ausência, divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para o primeiro dia de provas deste ano, apurou-se que 51,5% dos 35,5 mil inscritos na região não puderam comparecer nos exames aplicados em Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá.

Enquanto muitos estudantes não conseguiram comparecer por falta de salas, outros, por sua vez, prestaram o exame em salas quase vazias. Dos mais de 35,5 mil concorrentes que se inscreveram para prestar, no último domingo, o Enem em locais distribuídos pelo G5, mais da metade pode não ter realizado a primeira etapa do exame. Com um índice de abstenção recorde na história, o Inep divulgou que 51,5% de todos os inscritos no país deixaram de participar do seleção.

Com os protocolos de segurança, em razão da pandemia do coronavírus (Covid-19), os locais de prova, neste ano, precisaram respeitar um limite de lotação que observava o distanciamento social. Com isso, filas enormes se formaram em algumas escolas de Mogi das Cruzes e muitos candidatos foram dispensados por falta de vagas.

Se em alguns locais a desorganização prejudicou muitos inscritos, em outros, o exame foi realizado em ambientes quase vazios. As estudantes Sofia e Bárbara relataram que as salas em que prestaram a prova estavam com bem menos do que a capacidade permitia.

Sofia Gomes Elegancia, 16, participou de sua primeira edição do Enem no último domingo. A estudante se inscreveu em Poá e realizou a prova na Escola Estadual Professora Benedita Garcia da Cruz. "As salas não estavam lotadas, pelo contrário, na minha, por exemplo, tinha apenas sete pessoas contando comigo", contou Sofia. Com um número reduzido de participantes, as aglomerações registradas em outros pontos também foram evitadas. "Quando entrei na escola, não tinha aglomeração, todos os alunos que chegavam tinham que ir imediatamente para as suas salas, para que não houvesse nenhum tipo de contato", completou.

Em outra escola em Ferraz de Vasconcelos a situação foi semelhante. Bárbara Vitória Gomes Bugiga (16) fez a prova na Escola Municipal de Educação Básica Antonio Bernardino Corrêa. "Das 26 pessoas previstas para fazerem o Enem na minha sala, 14 estavam ausentes e apenas 12 compareceram", relatou Bárbara, acrescentando que, nesse local, as medidas de prevenção foram seguidas à risca e o distanciamento social foi mantido.

* Texto supervisionado pelo editor.

Deixe uma resposta

Comentários