Desassoreamento retira 5 mil metros cúbicos de sedimentos

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) já desassoreou aproximadamente 5 mil m³ de sedimentos do rio Jundiaí, numa extensão aproximada de 1,5 mil metros. No total, está prevista a retirada de 37 mil m³ em um percurso de 3 mil metros. O trabalho, que teve início no dia 9 de novembro de 2020, próximo à adutora da Sabesp, tem um período de execução de 9 meses, com investimento de R$ 4,4
milhões. Outros rios também receberam a limpeza.

Com o objetivo de prevenir as enchentes em Mogi das Cruzes e região, o Daee continua com a limpeza do rio Jundiaí. Iniciado em novembro do ano passado, o desassoreamento do curso d'água que corta a cidade já percorreu cerca 50% do total previsto. Em três meses de dragagem foram retirados 5 mil m³ de sedimentos.

A expectativa é de que os trabalhos com duração de nove meses contribuam para a remoção de aproximadamente 13.500 m³ de sedimentos, como areia, terra, lodo e lixo, depositados no fundo do canal. Volume este equivalente a 5,4 piscinas olímpicas (2.500 m³ cada).

O último desassoreamento completo do rio Jundiaí ocorreu há mais de dez anos, quando 62 mil metros cúbicos de material foram retirados no rio. Depois disso, foram realizados somente serviços de manutenção, como retirada de garrafas pet e limpeza de detritos da superfície.

Além do rio Jundiaí, outras ações de combate às enchentes no Alto Tietê também foram priorizadas com empreendimentos de projetos, serviços e obras que foram aprovados em 2019 e tiveram contratos assinados em 2020 com recursos do Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos) e do DAEE, para beneficiar diretamente cidades como Suzano, Mogi das Cruzes, Guarulhos, Poá e Itaquaquecetuba.

Nessas cidades já estão em execução os serviços de limpeza e desassoreamento no Rio Jaguari, na divisa de Suzano e Itaquá, e aguarda a primeira medição. Os trabalhos planejados para o Córrego Itaim e o Rio Guaió, localizados em Poá, estão prestes a começar, o departamento aguarda o licenciamento ambiental para os começar a limpeza.

O desassoreamento também está sendo realizado em outros pontos da região. No Ribeirão Lajeado, em São Paulo, já foram retirados aproximadamente 10 mil m³. Em Guarulhos, a limpeza do Córrego Pedrinhas já retirou aproximadamente 9 mil m³ de material.

*Texto sob supervisão do editor.

Deixe uma resposta

Comentários