Santos confirma venda de Pituca para o Japão

Pituca marcou oito gols em 152 jogos; contra o Boca, na quarta, deixou a sua marca
Pituca marcou oito gols em 152 jogos; contra o Boca, na quarta, deixou a sua marca - FOTO: Divulgação/Santos FC
O volante Diego Pituca está de saída do Santos. Ontem, o presidente Andrés Rueda confirmou que o clube aceitou a proposta do Kashima Antlers pelo meio-campista. Ele vai se transferir ao futebol japonês após a disputa da final da Copa Libertadores, no dia 30, diante do Palmeiras, no Maracanã.

"Vale ressaltar que o valor que eles estão pagando é por 50% do Pituca. Não gostaríamos que ele deixasse o clube, mas vocês sabem como é. O jogador tem o direito de crescer financeiramente na vida. Fechamos essa operação. E ele continua na Libertadores", afirmou.

Pituca, de 29 anos, foi decisivo para a classificação do Santos à final da Libertadores ao marcar o gol que abriu o placar da vitória por 3 a 0 sobre o Boca Juniors, na última quarta-feira, na Vila Belmiro. Foi o oitavo gol do meio-campista em 152 jogos pelo clube ao qual chegou em 2017.

No fim de 2020, uma outra proposta do Kashima Antlers por Pituca chegou a ser colocada na pauta de reunião do Conselho Deliberativo do Santos, mas acabou não sendo avaliada. Agora, nos primeiros dias da gestão de Rueda, o clube sacramentou a negociação para a saída do meio-campista.

Além de Pituca, o Santos também já acertou a venda de outro jogador para após o término da Libertadores: o zagueiro Lucas Veríssimo. Após uma longa negociação, o defensor vai se transferir para o Benfica. De acordo com Rueda, o acordo foi mais benéfico do que o da oferta inicial do time português. O Santos irá receber o valor acordado - US$ 6,5 milhões (aproximadamente R$ 34,25 milhões) - em menos parcelas. E Veríssimo aceitou reduzir o porcentual a que terá direito.

"O Benfica pressionou muito. A primeira proposta era meio sem sentido, de pagar em seis anos, mas depois de 20 ou 25 dias chegamos em um bom denominador. Vai ser pago 75% basicamente em 2021 e a última parcela mais para frente. Conseguimos também, em relação à proposta inicial, uma redução da parte do jogador, que abriu mão de 5% dos seus 15%. E a comissão do empresário diminuiu", assegurou o dirigente.

Apesar da saída de dois titulares logo no começo da sua gestão, Rueda assegura que não pretende tornar a prática rotineira no Santos, mesmo que o clube sofra com graves problemas financeiros "Vender e comprar faz parte do dia a dia do futebol, mas vender para suprir o caixa, eu quero evitar", afirmou.

Deixe uma resposta

Comentários