'Índia deu prioridade ao Brasil', diz cônsul-geral

Maior produtor de vacinas do planeta, a Índia priorizou o Brasil para o fornecimento de vacinas contra a Covid-19, afirmou ao Estadão o cônsul-geral do país em São Paulo, Amit Kumar Mishra. Logo após ter distribuído doses de maneira assistencial a 9 países vizinhos, como uma forma de proteger as próprias fronteiras e expandir sua presença no Sudeste Asiático, os indianos enviaram ao Brasil o primeiro lote de
2 milhões de doses produzidas pelo Instituto Serum, o maior fabricante de vacinas do mundo.

Apesar disso, a Índia frustrou os planos do Brasil ao não ter liberado as doses com antecedência - a expectativa do governo brasileiro era receber a vacina Oxford-AstraZeneca no dia 17 de janeiro. Na ocasião, o país asiático alegou "problemas logísticos" para liberar as doses, pois a vacinação na Índia começou no dia 16. Outros lotes estão em negociação e devem chegar em fevereiro.

Com capacidade para desenvolver 8,2 bilhões de doses de diferentes vacinas em um ano e responsável por 60% da produção mundial, a Índia continuará fornecendo vacinas contra a Covid-19 a outros países de maneira gradual. "Este fornecimento será calibrado de acordo com as necessidades domésticas e a demanda e obrigações internacionais", disse o cônsul da Índia, país de 1,4 bilhão de habitantes. (E.C.)