EUA vai enviar 11 milhões de doses de vacinas por semana

Fornecimento das doses deve ocorrer nesse formato nas próximas três semanas
Fornecimento das doses deve ocorrer nesse formato nas próximas três semanas - FOTO: Agência Brasil/Divulgação

O coordenador da resposta da Casa Branca nos Esta dos Unidos, à pandemia, Jeff Zients, informou ontem, que o governo americano aumentará a oferta semanal de doses de vacinas contra o coronavírus (Covid-19) para os Estados, de 8,6 milhões para 11 milhões. Segundo o conselheiro, isso representa uma alta de 28% na oferta de imunizantes desde que o presidente Joe Biden tomou posse, no dia 20 de janeiro deste ano.

Durante uma coletiva de imprensa da força-tarefa dos Estados Unidos para o combate à pandemia da Covid-19, Zients também afirmou que o governo passará a distribuir os imunizantes diretamente para centros de saúde comunitários."Faremos de tudo para apoiar os fabricantes de vacinas, para que produzam o quanto puderem", declarou Zients.

De acordo com ele, o governo se compromete a manter o atual ritmo de fornecimento de imunizantes pelo menos nas próximas três semanas.

O conselheiro também voltou a pedir a aprovação no Congresso do pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão proposto por Biden, o que liberaria mais recursos para a saúde.

Morte Covid-19

O deputado republicano Ron Wright, de 67 anos, morreu por complicações da Covid-19, tornando-se o primeiro parlamentar do Congresso dos Estados Unidos a ser vítima da doença. A morte de Wright foi comunicada por sua equipe anteontem, mas o deputado morreu no domingo passado.

A equipe de Wright, por meio de um comunicado, disse que o deputado estava hospitalizado junto da esposa, em Dallas, depois de terem se infectado com o vírus. A nota também diz que o parlamentar fez tratamento contra o câncer nos últimos anos. Em 21 de janeiro, Wright anunciou que havia testado positivo para Covid-19, depois de estar em contato com um indivíduo com o vírus na semana anterior ao resultado.

Ron Wright se tornou o primeiro parlamentar do Congresso americano a sucumbir à doença. Antes, Luke Letlow, de 41 anos, que foi eleito deputado pela Louisiana no pleito do ano passado, morreu de Covid-19 em dezembro do ano passado, antes de assumir o cargo.

O deputado também ficou hospitalizado no ano passado para tratamento de um câncer de pulmão. "Apesar de anos de tratamento doloroso e às vezes debilitante contra o câncer, Ron nunca esmoreceu do desejo de se levantar e voltar para o trabalho, para motivar aqueles que estavam ao seu redor ou para oferecer um conselho paternal", disse o escritório dor parlamentar em comunicado.

Os Estados Unidos são o país mais afetado do mundo pela pandemia do coronavírus em termos absolutos, com mais de 460 mil mortes até ontem a tarde.