EUA: CDC recomenda uso de duas máscaras contra cepas da Covid

Entre 1% e 4% dos casos de Covid nos EUA já são decorrentes da variante britânica
Entre 1% e 4% dos casos de Covid nos EUA já são decorrentes da variante britânica - FOTO: Ricardo Wolffenbuttel/Governo de SC

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) atualizou ontem suas recomendações em relação a pandemia do coranavírus. O instituto passou a sugerir o uso de duas máscaras para combater as novas variantes da Covid-19 que se espalham pelo país.

A diretora do CDC, Rochelle Walensky, disse que os estudos realizados pelo instituto comprovaram a maior eficácia do uso de máscaras sobrepostas contra as variantes do vírus. "As máscaras funcionam melhor quando têm um bom ajuste e são usadas corretamente", afirmou a cientista durante uma coletiva de imprensa da força-tarefa da Casa Branca para o combate à pandemia.

Conselheiro de saúde do governo Joe Biden, o infectologista Anthony Fauci, que também participou da coletiva, disse que a variante britânica é a que mais preocupa. Ele ponderou, contudo, que as vacinas que já estão sendo administradas nos EUA são eficazes contra essas novas cepas do coronavírus. O país já autorizou o uso emergencial do imunizante da Moderna e do desenvolvido pela Pfizer em parceria com a BioNTech.

De acordo com Walensky, entre 1% e 4% dos casos de Covid-19 nos EUA já são decorrentes da variante britânica. Na estimativa de Fauci, a mutação identificada no Reino Unido se tornará dominante em território americano no final de março.

Walensky disse que o número de novos casos, mortes e hospitalizações por Covid-19 continuou a diminuir nos últimos sete dias, mas ainda é "muito alto". Ela defendeu que não é hora de retirar a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais como o transporte público.

O coordenador da resposta da Casa Branca à pandemia, Jeff Zients, por sua vez, reforçou que o governo continua tomando medidas para aumentar o fornecimento de vacinas.

OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou ontem no atual contexto de grande circulação da Covid-19 em muitos países, mesmo os vacinados contra o vírus devem manter os cuidados recomendados, como uso de máscaras e distanciamento social. Diretora do Departamento de Imunização, Vacinas e Biológicos da OMS, Kate O'Brien, lembrou que nenhuma das vacinas disponíveis é 100% eficaz.

Além disso, ela comentou durante entrevista coletiva virtual que os vacinados podem desenvolver apenas casos leves da doença, mas ainda assim contaminar outras pessoas. "Não sabemos o quanto as vacinas protegem da infecção contra a Covid-19", apontou.

O'Brien advertiu que, quanto mais o vírus circular, maior o risco de surgirem cepas resistentes a alguma vacina. Já a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan recomendou que os profissionais de saúde sejam vacinados "na primeira oportunidade", sem ficar esperando opções mais eficazes adiante.

A cientista-chefe também destacou que, embora muitos países já tenham começado a vacinar, há um desequilíbrio importante entre nações nesse quesito, a depender de sua riqueza O'Brien comentou em outro momento que, até agora, a grande maioria das vacinas seguia para apenas dez países, não citados por ela.