Cedae vai compensar clientes após problema em Elevatória do Limeirão

Fachada do edifício-sede da Cedae
Fachada do edifício-sede da Cedae - FOTO: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) compensará com um desconto de 25% na conta de março cerca de 154 mil residências que foram afetadas por problemas de abastecimento entre novembro e dezembro do ano passado, quando a Elevatória do Lameirão teve sua capacidade operacional reduzida.

O desconto é fruto de um acordo da companhia estadual com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, a Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro e a Procuradoria-Geral do Estado.

A elevatória precisou passar por um reparo emergencial entre 15 de novembro e 21 de dezembro do ano passado, o que reduziu sua capacidade operacional em 25% e causou falta d'água em diversos bairros da capital fluminense. O abastecimento só foi normalizado em 23 de dezembro.

As 154 mil residências que receberão a compensação não precisarão solicitar o desconto, que será aplicado nas faturas e leituras geradas a partir de 12 de março. As moradias selecionadas para a compensação são sem hidrômetro ou com hidrômetros faturados pelo consumo mínimo e terão o valor do desconto informado na conta de água.

Quem se sentiu prejudicado pelo problema e não receber a compensação poderá solicitar o desconto, por meio de um requerimento formal ao e-mail [email protected] . Deverão ser informados na mensagem o nome completo do cliente, matrícula do imóvel, CPF do titular da conta, motivo da solicitação e cópias da documentação comprobatória (notas fiscais ou outros documentos). Segundo a Cedae, os pedidos serão avaliados e respondidos em um prazo de 20 dias.

Mais dúvidas podem ser esclarecidas nos canais de atendimento da Cedae, como as agências físicas, pelo site www.cedae.com.br e telefone 0800-282-1195.

O acordo da companhia, os órgãos públicos também prevê o investimento de R$ 34 milhões na elevatória, que deverá ser equipada com dois motores reservas e um novo conjunto de motobomba, permitindo maior segurança operacional.