Parlamento debate petição sobre negociação com Mercosul

Petição pede suspensão imediata de acordo comercial
Petição pede suspensão imediata de acordo comercial - FOTO: Agência Brasil

O Parlamento Europeu marcou para hoje uma sessão com debates sobre uma petição que pede a suspensão imediata de todas as negociações relacionadas ao acordo comercial entre União Europeia e Mercosul. Assinado por 340 organizações, o documento justifica o pleito com a "piora na situação ambiental e de direitos humanos no Brasil".

O grupo acusa o governo brasileiro de ameaçar as "funções básicas" da democracia e critica a postura do Ministério do Meio Ambiente em relação às áreas de proteção de povos indígenas. Segundo o texto, esses territórios estão sob constante ataque, com intuito de abrir caminho para o agronegócio por meio do avanço do desmatamento.

As organizações também pressionam a UE a proibir a compra de produtos que tenham envolvimento com o desflorestamento. "Em negação do aquecimento global, departamentos responsáveis pelas mudanças climáticas foram abolidos, colocando em sério risco a implementação do Acordo de Paris"

No ano passado, a Comissão Europeia já havia respondido à petição com argumentos em defesa do tratado de livre comércio. Na ocasião, o órgão assegurou que o pacto, se implementado, prevê instrumentos de garantias ambientais e de direitos humanos e está condicionado ao cumprimento do Acordo de Paris. "No que diz respeito a qualquer possível impacto do acordo sobre o desmatamento, commodities como soja e grãos de café, que compõem grande parte das importações da UE do Mercosul, já são livres de impostos e, portanto, não serão afetadas pelo acordo", acrescentou a Comissão. (E.C.)