Diretor da OMS afirma que Covid não acabará este ano

Prioridade é reduzir hospitalizações e ampliar vacinação
Prioridade é reduzir hospitalizações e ampliar vacinação - FOTO: Reuters/Pilar Olivares/

Diretor executivo da Organização Mundial de Saúde (OMS), Mike Ryan afirmou ontem que seria muito prematuro e não realista acreditar que a pandemia da Covid-19 pode ser encerrada até o fim deste ano. Segundo ele, a prioridade da entidade agora é reduzir as hospitalizações e ampliar o máximo possível a vacinação.

Durante entrevista coletiva da entidade, Ryan apontou que os dados disponíveis sobre as vacinas de combate ao vírus são realmente encorajadores Segundo ele, esses dados sugerem que os imunizantes funcionam para reduzir o risco de contaminação e de desfechos graves da doença. Mas advertiu: "No momento, o vírus está no controle da situação. Há alta potencial de casos em vários países", afirmou o diretor.

Também presente na coletiva, a epidemiologista responsável pela resposta da OMS à pandemia, Maria Van Kerkhove, comentou que os dados da semana passada, que mostraram alta nos casos do coronavírus pelo mundo, são um alerta de que, caso a população baixe a guarda, o vírus terá novo ganho de impulso. Kerkhove defendeu a reabertura de escolas como prioridade, mas pediu que as pessoas limitem contatos em geral, a fim de conter a crise de saúde.

Já a cientista-chefe da OMS, Sumya Swaminathan, disse que a meta da Iniciativa Covax, que distribui vacinas pelo mundo, é acabar com a fase aguda da pandemia ainda neste ano.