EUA anunciam parceria para produzir vacinas

Biden invocará lei que ajudará na produção das doses
Biden invocará lei que ajudará na produção das doses - FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, anunciou durante uma coletiva de imprensa ontem que a Johnson & Johnson formará uma parceria com a Merck para acelerar a produção de sua vacina contra a Covid-19. Para auxiliar as duas farmacêuticas, o presidente americano, Joe Biden, invocará a Lei de Defesa da Produção, que permite ao governo direcionar a produção de empresas privadas.

A decisão do governo americano ocorre após um atraso no cronograma inicial de entrega dos imunizantes da J&J. A vacina, que protege contra a Covid-19 com apenas uma dose, recebeu autorização para uso emergencial no país no sábado passado.

De acordo com Psaki, os EUA deverão ter 8 milhões de vacinas da farmacêutica disponíveis até o fim desta semana. A previsão inicial era receber 10 milhões de doses logo após a aprovação do uso emergencial.

"Invocamos a Lei de Defesa da Produção para aliviar dois dos maiores gargalos enfrentados pela Johnson & Johnson", disse a porta-voz. Psaki informou que o governo equipará duas instalações da Merck com os padrões necessários para fabricar a vacina.

Segundo a assessora, o governo americano também aumentará o volume de vacinas da Pfizer e da Moderna enviadas semanalmente aos Estados, de 14,5 milhões doses para 15,2 milhões do imunizante. (E.C.)