Marcelo Queiroga assume Ministério

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Queiroga assumiu desafio
Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Queiroga assumiu desafio - FOTO: Reprodução AMB

-O presidente Jair Bolsonaro escolheu o médico Marcelo Queiroga como novo ministro da Saúde. Será o quarto nome a assumir a pasta desde o início da pandemia, comandada desde maio do ano passado pelo general Eduardo Pazuello. Ele se reuniu com Bolsonaro na tarde desta segunda-feira, 15.

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o paraibano Queiroga é muito respeitado no setor. No combate ao coronavírus, defende o distanciamento social e não acredita em tratamento precoce, dois pontos em que diverge dos bolsonaristas e do próprio presidente. Mas Queiroga é considerado uma pessoa com jogo de cintura para construir uma política de saúde que possa funcionar contra a pandemia, sem contrariar suas convicções.

Ainda durante o dia de ontem havia várias especulações a respeito de quem assumiria a vaga de Pazuello. Outros dois cardiologistas, além de Ludhmila Hajjar, que negou o convite estavam cotados pelo Palácio do Planalto. José Antonio Franchini Ramires, professor titular do Instituto do Coração (Incor) de São Paulo. Queiroga tem bom trânsito em Brasília e no governo Já Ramires teria sido indicado ao presidente por sua ala ideológica.Também era um dos cotados.

Enquanto tenta atrair um médico renomado, o Planalto "guardava" uma opção ofertada a ele por parlamentares do Centrão, agora aliados do governo: o deputado Luiz Antônio Teixeira Júnior (PP-RJ), conhecido com Doutor Luizinho. Médico ortopedista, está em seu primeiro mandato e já foi secretário estadual de saúde do governo do Rio.

O próprio escolhido, o médico Marcelo Queiroga estava na lista dos cotados a assumirem o Ministério da Saúde, o que acabou se confirmando na noite desta segunda-feira.