Coronavírus representa risco maior do que vacina, diz OMS

Embora variante tenha sido encontrada não há relação com casos nos Estados
Embora variante tenha sido encontrada não há relação com casos nos Estados - FOTO: REUTERS/Phil Noble

O diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, afirmou ontem que os riscos associados à vacina contra o coronavírus são muito menores que aqueles causados pela própria doença. Em sessão de perguntas e respostas nas redes sociais, Ryan ressaltou que a entidade estuda os relatos de supostos casos de coágulos sanguíneos em pessoas que receberam o imunizante desenvolvido pela AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford. Ainda assim, ele explicou que a OMS segue recomendando o uso do profilático.

Segundo Ryan, a situação global da pandemia da Covid-19 é estável, mas há sinais "preocupantes", particularmente o aumento número de casos nas últimas três semanas. "O coronavírus está ficando um pouco mais transmissível e um pouco mais difícil de controlar", disse, em referência à disseminação de variantes mais contagiosas.

A epidemiologista responsável pela resposta da Organização Mundial da Saúde (OMS) à pandemia, Maria Van Kerkhove, reiterou o argumento de que os benefícios da vacina superam, de longe, os riscos. De acordo com ela, na última semana, houve aumento de 10% no volume de infecções.(E.C.)